Notícias

O retorno das ararinhas bahianas

As araras-azuis-de-lear têm uma população pequena, com menos de 1000 animais. Mas o sucesso da conservação parecer mudar estes número.

Redação ((o))eco ·
6 de fevereiro de 2015 · 8 anos atrás

Araras-azuis-de-lear ([i]Anodorhynchus leari[/i])em pleno voo.  Canudos, Bahia. Foto:
Araras-azuis-de-lear ([i]Anodorhynchus leari[/i])em pleno voo. Canudos, Bahia. Foto:

A arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) é uma espécie de arara endêmica do estado da Bahia, no Brasil. As principais ameaças para população da arara-azul-de-lear são a captura de indivíduos para o comércio ilegal de animais silvestres – que abastecem criadouros particulares no Brasil e exterior – e a destruição do seu habitat, que afeta as suas áreas de alimentação. Até 2008 a espécie era considerada pela IUCN como “Em Perigo Crítico“. A partir daí, medidas de conservação como o Programa de Conservação da Arara Azul de Lear, bem como a proteção garantida pela CITES e pelo Ministério do Meio Ambiente, contribuíram para o aumento da população – hoje estimada em 960 indivíduos – e fizeram com que classificação fosse revista em 2009 para “Em Perigo“. O risco permance, mas as chances de sobrevivência da arara-azul-de-lear são maiores.

 

 

Leia Também
Pinguins equatorianos numa fria
A baleia-franca-do-atlântico-norte e o incerto destino
Os dugongos merecem mais respeito

 

 

 

Leia também

Notícias
25 de novembro de 2022

Isso virou “troco” para nós, diz governador de Mato Grosso sobre programa REDD

Segundo Mauro Mendes, “migalhas” repassadas por países ricos não recompensam, de forma justa, os serviços ambientais prestados pelo Brasil

Notícias
25 de novembro de 2022

São Paulo terá super secretaria de meio ambiente, infraestrutura, transportes e logística

A equipe de transição ligada à pasta também tem forte influência de Gilberto Kassab, que será secretário de Governo de Estado

Notícias
25 de novembro de 2022

Extinção de Floresta Nacional fantasma avança na Câmara

Projeto que extingue a Flona de Cristópolis, na Bahia, foi aprovado pela Comissão de Meio Ambiente. Criada em 2001 de forma polêmica, a área protegida nunca foi implementada

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta