Salada Verde

Exposição virtual apresenta expedição científica pelo Brasil do século XIX

Viagem feita pelos naturalistas Carl Friedrich Philipp Von Martius e Johann Baptist Ritter von Spix é tema da exposição virtual que comemora os 20 anos da Escola Nacional de Botânica Tropical do JBRJ

Bruna Martins ·
3 de janeiro de 2022
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Durante três anos, os naturalistas Carl Friedrich Philipp Von Martius (1794-1868) e Johann Baptist Ritter von Spix (1871-1826) se dedicaram a uma expedição pelo Brasil, viajando do Rio de Janeiro até a Amazônia em uma época em que a locomoção apresentava muitos desafios. Durante a viagem, eles coletaram milhares de exemplares de plantas, animais, artefatos e registraram, em textos e ilustrações produzidas a mão, as paisagens, a flora, a fauna e os povos encontrados. O que encontraram é tema da exposição virtual Spix e Martius, uma viagem pelo Brasil, 1817 – 1820, que está disponível para o público desde 30 de dezembro. Ela faz parte das comemorações dos 20 anos de criação da Escola Nacional de Botânica Tropical do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (ENBT/JBRJ). 

A exposição é organizada em oito salas virtuais, em que a história da expedição é contada e contextualizada, apresentando o trabalho científico dos dois naturalistas. O conteúdo é apresentado em pequenos vídeos, em formato de documentário, e imagens de raras ilustrações feitas por Matius são apresentadas de forma detalhada – são mais de cem espécies de plantas e animais encontradas em mais de 30 paisagens dos biomas brasileiros, disponíveis para apreciação. Todas as páginas apresentam legendas explicativas, disponíveis em português, inglês ou espanhol. O material foi produzido por um time de pesquisadores de cinco instituições, sob a curadoria do professor e ilustrador botânico Paulo Ormindo, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e da ENBT. 

A realização é da Associação de Amigos do Jardim Botânico (AAJB), com direção de arte e design da artista Mary Paz e patrocínio da Bahia Holding. As pesquisas e textos são de autoria de Alda Heizer, Maria da Penha F. Ferreira, Patrícia da Rosa, Rafaela Campostrini Forzza e Rosana Simões Medeiros (JBRJ), José Augusto Pádua (UFRJ), Marco Antonio Palomares Accado Filho (Herbário/Fiocruz), Lorelai Kury e Kaori Kodama (COC/Fiocruz), Paulo Ormindo (UFRRJ e ENBT/JBRJ) e Renato de Mello-Silva (USP) (in memorian).

Para acessar a exposição, clique aqui.

Crédito: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
  • Bruna Martins

    Jornalista em formação pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Leia também

Reportagens
29 de abril de 2018

A saga da ararinha-azul para voar novamente em liberdade

Como andam as ações para a reintrodução da Cyanopsitta spixii na Caatinga de Curaçá, Bahia, e o que ainda precisa ser feito para concretizar sua volta à natureza

Reportagens
16 de fevereiro de 2020

Naturalista, botânico e paleontólogo por acaso

Homem do século 19, João Barbosa Rodrigues foi o diretor mais longevo do Jardim Botânico do Rio. Antes disso, viveu aventuras e amarguras na Amazônia

Reportagens
15 de março de 2020

O alemão que intuiu o passado da Amazônia

O ornitólogo Jürgen Haffer formulou em 1969 a teoria dos refúgios florestais. Sua influência reverbera na academia até hoje

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 2

  1. MARTA METELLO JACOB diz:

    Minha admiração e respeito por este boletim só cresce quando vejo este tipo de reportagem sobre o livro de Rachel Carson.
    Parabéns! Minha assinatura e apoio, sempre!


  2. Inês Fernandes diz:

    Muito bom!
    Parabéns aos envolvidos.