Salada Verde

Instituição britânica comandada por biólogo brasileiro divulga balanço das suas descobertas de 2023

A Royal Botanic Gardens descobriu 99 novas espécies de plantas e fungos no ano passado, várias delas já ameaçadas de extinção

Gabriel Tussini ·
19 de janeiro de 2024
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Os Jardins Botânicos Reais de Kew, a maior instituição botânica do mundo, divulgou neste mês um balanço das novas espécies descobertas por seus cientistas e parceiros no ano de 2023. Comandados pelo diretor científico Alexandre Antonelli, brasileiro de Campinas, os pesquisadores da instituição sediada em Londres descobriram 99 espécies no total, sendo 74 de plantas e 15 de fungos, em locais como Madagascar, Coreia do Sul e até Antártica.

Segundo a entidade de pesquisa, as descobertas são importantes para os esforços de conservação, já que muitas dessas espécies são encontradas já ameaçadas ou criticamente ameaçadas de extinção, tendo um único indivíduo vivo conhecido. Segundo a edição de 2023 do relatório “Estado das Plantas e Fungos do Mundo”, também lançado por Kew, 77% das espécies ainda não descobertas de plantas (que seriam 15% da flora mundial, estima o relatório) estariam ameaçadas de extinção, enquanto cerca de 2 milhões de espécies de fungos ainda são desconhecidas. “Temos formas de salvar as novas espécies mais ameaçadas, mas só se conseguirmos encontrá-las a tempo”, diz a abertura do comunicado no site da instituição.

Para comemorar as novas descobertas, os cientistas de Kew elegeram suas 10 espécies favoritas entre as 99 descritas no ano passado. A primeira espécie da lista é uma orquídea descoberta em Madagascar, a Aeranthes bigibbum. Também compõem a seleção duas espécies de árvores (Baphia arenicola e Cochlospermum adjanyae) que vivem embaixo da areia do Deserto de Kalahari, em Angola, uma orquídea (Dendrobium azureum) encontrada no topo de um vulcão na Indonésia e uma espécie de planta (Crepidorhopalon droseroides) aparentemente carnívora, a única de seu gênero com essa característica caso isso se confirme – os pesquisadores ainda estão testando se ela consegue digerir insetos, embora já tenham comprovado que os atrai e prende em seu interior. A lista completa pode ser consultada aqui.

  • Gabriel Tussini

    Estudante de jornalismo na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), redator em ((o))eco e interessado em meio ambiente, política e no que não está nos holofotes ao redor do mundo.

Leia também

Reportagens
31 de março de 2019

Conheça o brasileiro que comanda o jardim botânico mais importante do planeta

Campineiro, encabulado e um monstro científico. Aos 40 anos, o botânico Alexandre Antonelli assumiu a direção científica do Kew Garden, em Londres

Notícias
12 de abril de 2024

ICMBio abre consulta pública para criação de novo parque marinho no Rio Grande do Sul

Criação do Parna de Albardão foi proposta há mais de 15 anos. Unidade protegerá 1,6 milhão de hectares, em região com alta pressão da pesca industrial

Notícias
12 de abril de 2024

Pesquisadores alertam para impactos de turbinas eólicas sobre morcegos

Artigo assinado por 12 pesquisadores de 9 países e territórios aborda efeitos das turbinas sobre morcegos ao redor do mundo, lista medidas de prevenção e pede maiores regulações

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.