Salada Verde

Governo anuncia repavimentação de trecho da BR 319

A assinatura do contrato foi realizada nesta quarta-feira (16). A obra no lote Charles não está incluída na parte mais problemática da recuperação da rodovia, que é no chamado “trecho do meio”

Daniele Bragança ·
16 de dezembro de 2020
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Lote Charles. Imagem: Dnit.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, anunciou na tarde desta quarta-feira (16) a assinatura do contrato que vai repavimentar o chamado lote Charles, entre os quilômetros 198 e 250 da BR 319, rodovia que ligava Manaus e Porto Velho, até ser abandonada e tomada de novo pela mata. O trecho anunciado já estava dentro das áreas em que não necessitam de novo licenciamento ambiental, pois já estavam pavimentadas. As obras se resumem em repavimentar o trecho, criar passagens de fauna (20 passagens aéreas e 12 subterrâneas) e recuperar áreas degradadas.

O anúncio foi feito à moda do governo federal: via rede social, sem apresentação de documentos ou detalhes.

A reconstrução da BR 319, principalmente no chamado trecho do meio, mais de 400 km atualmente intransponíveis, é apontado pelos ambientalistas como uma das mais graves ameaças para a preservação da maior floresta tropical do mundo, devido ao risco de expansão do arco do desmatamento. (Daniele Bragança)

 

Leia Também 

Projeto de pavimentação da BR-319 ignora regras e prevê entrega em 2022

 

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
22 de novembro de 2020

Projeto de pavimentação da BR-319 ignora regras e prevê entrega em 2022

A recuperação da rodovia entre Manaus e Porto Velho tende a acelerar o avanço do “arco do desmatamento” para as porções central e norte do Amazonas

Reportagens
14 de outubro de 2021

Estudo amplia de 39 para 74 os modos de reprodução conhecidos dos anfíbios e cria nova classificação

Estudo propõe um novo sistema de classificação dos modos reprodutivos para toda essa classe de animais composta por anfíbios anuros (sapos, rãs e pererecas), salamandras e cecílias (cobras-cegas)

Reportagens
14 de outubro de 2021

Licenciamento de resort em Maricá foi cancelado na Justiça, afirma advogada

Andamento no Inea surpreendeu pesquisadores e ambientalistas que movem ações judiciais contra o projeto Maraey. À frente da iniciativa, IDB Brasil nega impedimento legal

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta