Salada Verde

Governo substitui chefia do Parque Nacional do Pantanal

MMA declarou emergência ambiental por “risco de incêndios florestais” no país e a área protegida também terá ações preventivas

Aldem Bourscheit ·
8 de março de 2023
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Portaria de hoje no Diário Oficial exonera Bruno Ovelha e nomeia Nuno da Silva como chefe substituto do Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense. Silva já havia chefiado a reserva, de 2013 a 2020. Um nome definitivo virá após o novo presidente do ICMBio ser escolhido em uma lista tríplice.

O parque nacional é a maior unidade de conservação do bioma pantaneiro e terá este ano ações preventivas e de combate a incêndios, especialmente na estiagem de junho a agosto, informa a Assessoria de Imprensa do ICMBio. No fim do ano passado, os focos de incêndios somaram 11 mil ha na reserva. 

Medidas como a queima antecipada e controlada de vegetação, que reduz o “combustível” que pode incendiar na seca, atingirão ao menos 40 reservas nos cinco biomas, incluindo os parnas da Chapada dos Veadeiros e da Serra da Canastra, no Cerrado. O combate ao fogo será reforçado por helicópteros.

Buscando se antecipar aos impactos das chamas em unidades de conservação, esta semana o Ministério do Meio Ambiente declarou emergência ambiental por “risco de incêndios florestais” em estados de todas as cinco regiões do país, em períodos de abril deste ano a abril de 2024.

O enfrentamento do fogo no Parque Nacional do Pantanal é reforçado por um acordo firmado entre o ICMBio e a ong Instituto do Homem Pantaneiro (IHP). A parceria não financeira envolve, ainda, o monitoramento de embarcações e o fortalecimento de pesquisas científicas. 

Como mostrou ((o))eco, o Ministério Público Federal (MPF) analisa a regularidade do acordo e seu impacto sobre comunidades tradicionais. O processo corre desde agosto de 2021 e ambas as entidades, ICMBio e IHP, já foram interpeladas pela Procuradoria da República em Corumbá (MS).

  • Aldem Bourscheit

    Jornalista cobrindo histórias sobre Conservação da Natureza, Crimes contra a Vida Selvagem, Ciência, Comunidades Indígenas e ...

Leia também

Reportagens
23 de fevereiro de 2023

Cyríaco, o Rondon que desvendou o Pantanal do Rio Negro

Autora de livro recém-publicado, jornalista fala da formação da região pantaneira que já pertenceu quase que pela metade a tio de marechal Rondon, e onde hoje se configura polo de preservação

Reportagens
10 de fevereiro de 2023

O que o escurecimento das águas de Bonito tem a ver com a expansão agrícola

Entenda como o efeito da chuva sobre a transparência das águas de um dos principais pontos turísticos do Brasil é potencializado pela expansão acelerada da soja

Reportagens
22 de dezembro de 2022

Grandes corredores beneficiarão a vida selvagem no Pantanal

Iniciativas governamentais, privadas e da sociedade civil querem se antecipar a impactos econômicos e climáticos sobre a planície alagável

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 2

  1. Ângelo Rabelo diz:

    Sobre o último parágrafo da matéria, gostaria de, mais uma vez, esclarecer que o Termo estabelecido ampliou ações de apoio à unidade. Não trouxe nenhum prejuízo as comunidades. Fato este já avaliado pelo MPF. Cabe salientar que nossa instituição possui inúmeras ações de apoio à comunidade que asseguram melhoria na qualidade de vida. Para melhor compreensão e respeito aos que fazem, convido o jornalista a visitar as áreas e conhecer nosso trabalho. Quero crer que este veículo, deve continuar cumprindo seu importante papel para a conservação da natureza com matérias interessantes e inteligentes fomentando soluções é adesões para causa e não discórdia e descrédito para os que tem resultados a mostrar diariamente. Convite feito!


    1. abourscheit diz:

      Prezados (as)

      O Instituto do Homem Pantaneiro (IHP) é fonte de ((o))eco sobre conservação do Pantanal desde 2008, pelo menos;

      O inquérito em pauta está ativo e a Procuradoria da República em Corumbá (MS).ainda não se posicionou oficial e publicamente quanto ao impacto sobre comunidades tradicionais.e outros aspectos do citado acordo;

      ((o))eco segue acompanhando a pauta da conservação do Pantanal.