Salada Verde

Gripe aviária detectada em aves marinhas põe o Brasil em emergência sanitária

Animais foram sacrificados no Espírito Santo na tentativa de conter a disseminação da doença, que pode afetar humanos

Aldem Bourscheit ·
23 de maio de 2023
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Infecções de aves silvestres marinhas pelo vírus da gripe aviária H5N1 fizeram o Ministério da Agricultura e Pecuária decretar nessa segunda-feira (22) um estado de emergência zoossanitária no território nacional, por 6 meses.

Desde o último fim de semana, laboratórios federais confirmaram animais doentes no Espírito Santo e no Rio de Janeiro. As espécies infectadas incluem aves migratórias como trinta-réis e atobá.

Ainda não foram registrados casos em humanos, mas a doença é muito contagiosa, afeta várias espécies de aves domésticas e silvestres e, em alguns casos, outros mamíferos como ratos, gatos, cães, cavalos e porcos. 

Ao menos no Espírito Santo, 26 aves com suspeitas de infecção foram sacrificadas por órgãos públicos tentando conter o avanço da doença, como atobás e trinta-réis, biguá, coruja, bem-te-vi, periquito-rei e papagaio-chauá.

Suspeitas de animais infectados devem ser informadas aos veterinários ou órgãos de governo mais próximos. Mais informações aqui. A violência gratuita contra espécies silvestres e domésticas deve ser evitada, e é crime.

  • Aldem Bourscheit

    Jornalista brasilo-luxemburguês cobrindo há mais de duas décadas temas como Conservação da Natureza, Crimes contra a Vida Sel...

Leia também

Reportagens
28 de outubro de 2005

Só mais uma gripe

Pesquisadores brasileiros não estão tão preocupados com o impacto da “influenza aviaria” sobre a fauna silvestre. Na natureza, o vírus pode ser inofensivo.

Reportagens
10 de abril de 2023

Banco de dados sobre albatrozes facilita e fomenta pesquisas sobre aves marinhas

Banco de amostras e rede de cientistas permite que interessados em desenvolver pesquisas sobre as aves marinhas tenham acesso às coletas necessárias

Reportagens
18 de abril de 2024

A nova distribuição da vida marinha no Atlântico ocidental

Estudo de porte inédito pode melhorar políticas e ações para conservar a biodiversidade, inclusive na foz do Rio Amazonas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.