Salada Verde

Peça musical ensina crianças do Rio sobre energias renováveis e carreira científica

“Detetives da Energia em Cena” será exibida em escolas municipais e em anexo do Theatro Municipal, em sessões abertas ao público, ao longo deste mês; confira a programação

Gabriel Tussini ·
8 de abril de 2024
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

A peça musical “Detetives da Energia em Cena”, em exibição no Rio de Janeiro, conta para as crianças, de um jeito lúdico e divertido, a história da energia. Focada em três cientistas, entre os séculos XVIII e XX, a peça tem o objetivo de mostrar aos pequenos as origens e a importância das fontes limpas e renováveis de energia, além de incentivar mais meninas para as carreiras científicas. A obra tem roteiro de Daniela Chindler e direção de Guilherme Miranda.

O espetáculo estreou em 27 de março, no Ciep Nação Rubro-Negra, no Leblon, e passou por outras três unidades de ensino. A programação (na íntegra abaixo) ainda prevê a passagem por mais 5 escolas municipais – 3 na zona Sul e 2 na zona Norte –, além do Instituto Benjamin Constant, voltado para a educação de deficientes visuais, em sessão com audiodescrição. A peça terá ainda exibições abertas ao público na Sala Mário Tavares, anexa ao Theatro Municipal, nos dias 16, 17 e 19 de abril. A sala, com capacidade para 160 pessoas, terá duas sessões diárias, às 9h30 e às 14h30. A entrada é franca. 

O musical parte de um apagão para contar – e cantar – de onde vem a energia que abastece nossas casas, através das experiências de três cientistas que, em diferentes épocas, contribuíram para desenvolver fontes renováveis de energia. A sequência começa com o cartógrafo Herman Moll (1654-1732), autor, em Londres, do primeiro Mapa dos Ventos – base para estudos que viabilizariam a energia eólica.

A partir daí, a história parte para o século XX, com duas mulheres: a húngara radicada nos EUA Mária Telkes (1900-1995), pioneira no aquecimento com painéis de energia solar, e Enedina Alves Marques (1913-1981), primeira engenheira negra brasileira, que participou do projeto da Usina Hidrelétrica de Capivari-Cachoeira, maior central elétrica subterrânea do Brasil.

Os personagens são representados por bonecos, enquanto os atores e cantores Melina Ceribelli, Thiago Franzé, Naíma, Letícia Mendes e Agnes Brichta contam suas histórias e descobertas. Na parte musical, Melina e Thiago também se revezam no violão; Naíma e Letícia, na percussão.

As crianças, até aqui, aprovaram o espetáculo. “Adorei a peça, porque fala da energia, de como ela é importante, dos alimentos à internet que a gente usa para fazer trabalho”, resumiu Gabrielle, estudante do 3º ano do ensino fundamental do CIEP Nação Rubro-Negra e que assistiu a estreia da peça. Já Manoella, estudante do 3º ano do ensino fundamental na Escola Municipal Sergio Vieira de Mello, disse que gostou de saber que existem mulheres cientistas no Brasil.

“Trazemos ao público personagens que contribuíram para o desenvolvimento de recursos energéticos limpos e renováveis e, no rompimento de barreiras sociais e no protagonismo feminino” destacou a roteirista Daniela Chindler. “Levar o teatro para as escolas é fundamental para garantir o acesso à cultura das crianças cariocas”, afirmou.

Detetives da Energia em Cena é uma produção da Sapoti Projetos Culturais com patrocínio do Ministério da Cultura, da PetroReconcavo SA e da BRQ Soluções em Informática.

Programação

Escolas da rede municipal

08/04 – 2ª-feira (9h30 e 11h30): EM Prefeito Djalma Maranhão (Av. Niemeyer, S/Nº – Vidigal)

09/04 – 3ª-feira (9h30 e 13h40): EM Marechal Carlos Machado Bittencourt (Rua Dr. Garnier, 390 A – Rocha)

10/04 – 4ª-feira (9h30 e 11h30): EM João de Deus (Av. Camões, S/Nº – Penha Circular)

11/04 – 5ª-feira (9h30 e 12h30): EM Pedro Ernesto (Rua Fonte da Saudade, S/Nº – Lagoa)

12/04 – 6ª-feira (10h e 14h): EM Santos Anjos (Rua Humberto de Campos, S/Nº – Leblon)

Educação especial

18/04 – 5ª-feira (11h): Instituto Benjamin Constant (Av. Pasteur, 368 – Urca)

Aberto ao público, com entrada franca

16/04, 17/04 e 19/04 – 3ª, 4ª e 5ª-feira (sempre às 9h30 e às 14h30): Sala Mário Tavares – Theatro Municipal (Praça Floriano, S/Nº – Centro-Cinelândia. Capacidade: 160 espectadores)

  • Gabriel Tussini

    Estudante de jornalismo na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), redator em ((o))eco e interessado em meio ambiente, política e no que não está nos holofotes ao redor do mundo.

Leia também

Salada Verde
17 de maio de 2024

Avistar celebra os 50 anos da observação de aves no Brasil

17º Encontro Brasileiro de Observação de aves acontece este final de semana na capital paulista com rica programação para todos os públicos

Reportagens
17 de maio de 2024

Tragédia sulista é também ecológica

A enxurrada tragou imóveis, equipamentos e estradas em áreas protegidas e ampliou risco de animais e plantas serem extintos

Notícias
17 de maio de 2024

Bugios seguem morrendo devido à falta de medidas de proteção da CEEE Equatorial

Local onde animais vivem sofre com as enchentes, mas isso não afeta os primatas, que vivem nos topos das árvores. Alagamento adiará implementação de medidas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.