Vídeos

GUANABARA: Baía que Resiste | Episódio 3

Redação ((o))eco ·
13 de dezembro de 2021

Para conservar e recuperar a baía é necessário o fortalecimento do empreendedorismo de impacto socioambiental. Por isso, no último episódio iremos mostrar alguns dos bons exemplos que existem na região hidrográfica da Baía de Guanabara, as soluções baseadas na natureza para o saneamento, o empreendedorismo e a geração de renda, que podem ajudar a mudar a história da baía e inspirar uma grande mudança.

Ficha técnica:

Guanabara: Baía que Resiste (Episódio 3)
Duração: 12’26’’

Direção: Marcio Isensee e Sá
Pesquisa e roteiro: Duda Menegassi
Direção de fotografia: Micael Hocherman
Direção executiva: Paulo André Vieira
Montagem: Rodrigo Savastano
Assistente de fotografia: Wagner Lima
Artes: Julia Lima

Agradecimentos: Bondinho Pão de Açúcar

Realização ((o))eco
Patrocínio: Fundação Grupo Boticário

Leia também

Vídeos
13 de dezembro de 2021

GUANABARA: Baía que resiste | Episódio 1

Apesar das aparências, a Baía de Guanabara resiste. Suas águas maltratadas ainda guardam uma grande diversidade de espécies marinhas. A resistência guanabarina vem com a maré, com os manguezais protegidos no fundo da baía e com os rios que nascem nas serras, cercados por floresta, e deságuam na Guanabara. A natureza resiste bravamente na baía

Vídeos
13 de dezembro de 2021

GUANABARA: Baía que Resiste | Episódio 2

Pescadores artesanais se tornam protagonistas da recuperação dos manguezais do fundo da Baía de Guanabara, enquanto no alto da serra, um casal expande a ideia da restauração ambiental com reflorestamento e com a volta das antas. A recuperação e o futuro da Baía de Guanabara depende de exemplos como esse que permitem que a natureza

Reportagens
6 de dezembro de 2022

JBS, Marfrig e Minerva não estão em conformidade com lei europeia anti-desmatamento, mostra estudo

Regulação, aprovada na madrugada desta terça-feira (6), proíbe a entrada no mercado Europeu de commodities produzidas em áreas desmatadas após dezembro de 2020

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta