Fotografia

Apreciar para conservar

Acabam de ser divulgadas as imagens vencedoras do 2º Concurso Avistar Itaú BBA de Fotografia de aves. Este ano, foram mais de 7 mil inscritos. Confira alguns dos ganhadores.

Redação ((o))eco ·
5 de maio de 2008 · 16 anos atrás

Cobrir pautas ambientais no Brasil é tratar principalmente de decepções, ameaças, desastres, catástrofes. Mas de tempos em tempos surge alguma notícia que nos dá esperança, ou que traz de volta à nossa memória as razões pelas quais essa briga vale a pena. As fotos vencedoras do 2º Concurso Avistar Itaú BBA de Fotografia encaixam-se nessas duas categorias.

As imagens mostram a incrível diversidade das aves típicas dos diversos biomas brasileiros, seus padrões de comportamento, suas estratégias de sobrevivência. É impossível olhar para essas fotos e não concordar que esses organismos merecem ser preservados.

Se a apreciação estética da natureza é um caminho privilegiado para o reconhecimento do seu valor e, portanto, da necessidade da sua preservação, a fotografia de aves deve ser uma porta de entrada privilegiada para esta trilha. Assim, é motivo de enorme alegria ver que o Concurso cresce a cada ano que passa, não só em número de participantes – cada fotógrafo, cada observador de aves é mais um ambientalista – mas também na qualidade técnica, estética e documental das fotografias.

A galeria ao lado mostra as fotos vencedoras nas categorias “melhor foto”, “melhor registro”, “primeiras aves” (para iniciantes) e “prêmio especial”. As ganhadoras das menções honrosas do júri estão no site do Avistar.

Leia também

Salada Verde
14 de junho de 2024

Palmeiras chama atenção para o desmatamento ilegal em partida do Brasileirão

Em ação com sua fornecedora de material esportivo, o clube jogou sua última partida com dois modelos de camisa: no primeiro tempo, mais verde; no segundo, espaços em branco

Salada Verde
14 de junho de 2024

Filhote de onça-pintada é registrado no Parque Nacional do Iguaçu

Novo filhote, batizado de Yasú, que significa "amor", em Tupi, tem pouco mais de um ano de vida

Análises
14 de junho de 2024

Riscos vão muito além da privatização das praias

A zona costeira está sendo estreitada, aprisionada entre o processo de elevação do nível do mar e de ocupação que impede que a linha de costa se mova para se ajustar à nova realidade imposta pelas mudanças climáticas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.