Notícias

Passivo ambiental

A IBM está lidando com imenso passivo ambiental que havia deixado para trás em Endicott, pequena cidade no estado de Nova Iorque onde a empresa, há pouco mais de 3/4 de século, despejava seus rejeitos industriais. Fazia então máquinas de escrever e caixas registradoras numa fábrica em Binghamton, próxima a Endicott. O despejo – principalmente de um composto químico utilizado para lubrificar componentes de suas máquinas – durou várias décadas. O processo de limpeza que está sendo negociado com a promotoria federal de Nova Iorque, informa o The New York Times (gratuito, pede cadastro), vai custar caro. A conta, que ainda não é o número final nem inclui compensação às pessoas prejudicadas pela poluição, pode ultrapassar US$ 5 milhões. Lê-se em 2 minutos.

Manoel Francisco Brito ·
3 de setembro de 2004 · 19 anos atrás

Leia também

Reportagens
2 de dezembro de 2023

Na Cúpula do Clima, Lula confirma entrada do Brasil na OPEP+

Sociedade civil chama de "escárnio" o anúncio, feito durante evento que busca acordo global de eliminação dos combustíveis fósseis, causadores da mudança no clima

Podcast
2 de dezembro de 2023

Entrando no Clima ep #6: Brasil na OPEP?

Para comentar as repercussões do segundo dia de COP 28, ((o))eco conversa com Claudio Angelo, do Observatório do Clima

Reportagens
1 de dezembro de 2023

Fala de ministro brasileiro sobre entrada do Brasil na OPEP+ repercute mal em Dubai

Governo Lula lança fundo global para proteção das florestas e reforça compromisso do país com o plano de transição ecológica

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.