Notícias

((o))eco elege nova diretora presidente

Durante as comemorações dos sete anos do lançamento do site, o Conselho da Associação O Eco confirma indicação de Maria Tereza Jorge Pádua para a presidência da organização.

Redação ((o))eco ·
16 de agosto de 2011 · 10 anos atrás
Maria Tereza Jorge Pádua (foto: divulgação)
Maria Tereza Jorge Pádua (foto: divulgação)

No mês em que comemora sete anos de existência, a Associação O Eco, organização sem fins lucrativos ou coloração político partidária, que mantém a publicação do site ((o))eco e também dos projetos ((o))eco Amazonia e ((o))eco Cidades, confirmou a indicação de Maria Tereza Jorge Pádua para o cargo de diretora presidente da organização.

Conhecida conservacionista no Brasil, Maria Tereza faz parte do grupo de fundadores do site ((o))eco, onde mantém um espaço em que publica artigos opinativos. Engenheira agrônoma, com especialização em engenharia rural e com mestrado em ecologia, ela foi presidente do IBAMA na década de 90. Antes, no Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal, na qualidade de diretora de Parques Nacionais e Fauna Silvestre viabilizou a criação de 9 milhões de hectares de Parques Nacionais e outras áreas protegidas e começou os projetos TAMAR, Peixe Boi Marinho e o CEMAVE. Em 1981, ganhou o Prêmio Paul Getty de conservação ambiental, o mais importante do mundo na ocasião. Criou e presidiu por nove anos a organização não governamental Fundação pró Natureza (FUNATURA).

Recentemente homenageada pela presidente Dilma Rousseff em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, no dia 07 de junho durante a Semana do Meio Ambiente, Maria Tereza expôs sua visão de que é possível manter o Brasil no curso da estabilidade econômica e ao mesmo tempo promover a conservação do patrimônio natural. O discurso completo da ambientalista – O equilíbrio possível entre falsos inimigos – pode ser lido em nosso site.

Maria Tereza é a segunda presidente nos sete anos de vida de O Eco. Ela assume no lugar do jornalista Marcos Sá Corrêa. A Assembleia-Geral da Associação prestou homenagem a Marcos, fundador da organização em 2004. No momento, ele está afastado de funções administrativas por conta de problemas de saúde decorrentes de um acidente ocorrido em fevereiro deste ano (mais informações aqui)

A Assembleia foi também uma oportunidade para revisitar os objetivos e valores da Associação O Eco. Seu fundadores, conselheiros e diretores reafirmaram o compromisso de fazer de ((o))eco um espaço na internet de informação ambiental independente, ética e de qualidade. Entre suas principais atividades destacam-se a difusão de noticias da atualidade sobre meio ambiente do Brasil e do mundo, além do treinamento de escritores, fotógrafos e cinegrafistas vocacionados à cobertura ambiental, sejam eles jornalistas por formação ou não.

“O Eco é uma escola que espera impulsionar a carreira de profissionais brilhantes, motivados e espalhados por todos os cantos do Brasil”, frisou a nova presidente da Associação, Maria Tereza Jorge Pádua.

A Assembleia Geral da Associação também votou pela recondução dos membros do Conselho de Administração. São eles: Luis Octávio Motta da Veiga, Marc Dourojeanni, Marcos Sá Corrêa, Maria de Lourdes Nunes da Silva e Miguel Milano. Além disso, integram o Conselho Fiscal da Associação, Maria Carolina Zani, Verônica Theulem e Jonas Rinaldelli.

O Conselho realizou reunião-extraordinária onde confirmou os nomes da diretoria-executiva da Associação. Os jornalistas Eduardo Pegurier e Gustavo Faleiros foram indicados como diretores da organização.

Para saber mais sobre O Eco, leia Quem Somos 

Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta