Notícias

Estação da Marinha na Antártica iluminada com etanol

A estação operada pela Marinha Brasileira na Antártica passou a ser iluminada por motogerador movido a etanol, desenvolvido pela Petrobras.

Daniele Bragança ·
16 de janeiro de 2012 · 12 anos atrás
Motogerador movido a etanol: tecnologia limpa na Antártica. Foto: divulgação Ministério da Defesa
Motogerador movido a etanol: tecnologia limpa na Antártica. Foto: divulgação Ministério da Defesa

A estação operada pela Marinha Brasileira na Antártica, faz uma semana, é iluminada por um motogerador movido a etanol. A tecnologia desenvolvida pela Petrobras é nacional e o combustível é o mesmo usado nos veículos brasileiros.

A utilização do motogerador movido à biocombustível faz parte da comemoração dos 30 anos do Programa Antártico Brasileiro (Proantar). Funcionará na Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF) , que abriga militares, pesquisadores e estudiosos e terá capacidade de suprir toda a energia necessária às operações e aos programas científicos feitos no local.

Segundo nota publicada no site do Ministério da Defesa, a Petrobras fornecerá 350 mil litros de etanol e fará o acompanhamento tecnológico para avaliar e garantir o uso do biocombustível em condições climáticas severas.

O motogerador, desenvolvido pela VSE, uma empresa do Vale e do BNDES, funciona a partir de um sofisticado equipamento de controle e comando via internet. O equipamento e o etanol foram para a Estação brasileira na Antártica em outubro no navio de Pesquisas Oceânicas Ary Rongel. Logo depois, engenheiros brasileiros foram ao continente fazer as instalações e os testes necessários, já que o motogerador funcionará junto com os outros motogeradores já existentes a diesel.

A partida no motogerador foi feita pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, durante o evento de comemoração. Acompanham o ministro da Defesa na missão à Antártica o comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Julio Soares de Moura Neto, e o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro-do-ar Juniti Saito.

 

  • Daniele Bragança

    Repórter e editora do site ((o))eco, especializada na cobertura de legislação e política ambiental.

Leia também

Salada Verde
23 de fevereiro de 2024

Justiça Federal impõe mais de R$ 316 milhões em indenizações por desmatamento ilegal

Infrações ambientais foram identificadas pelo MPF por meio do Amazônia Protege, projeto que utiliza monitoramento por satélite para responsabilizar os atores dos desmatamentos ilegais

Notícias
23 de fevereiro de 2024

MPF no Acre arquiva denúncia da CPI das ONGs contra servidores do ICMBio

Servidores do órgão foram acusados de abusos contra moradores da Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre; para procurador, acusações são “genéricas e sem fato concreto”

Notícias
23 de fevereiro de 2024

Antas “avisam” pesquisadores sobre contaminação humana por agrotóxicos no MS

Além de agrotóxicos como glifosato, moradores do sudeste do estado também apresentaram altos índices de metais no corpo. Antas atuaram como sentinelas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.