Notícias

Cozinha da Amazônia: delícias que vão além do açaí

Como a gastronomia pode fazer com que os brasileiros conheçam melhor a Região Amazônica e aprenda a preservá-la

Nanda Melonio ·
17 de fevereiro de 2012 · 12 anos atrás
Tapioquinha de caranguejo, escondidinho de camarão com jambu e purê de macaxeira: cozinha contemporânea com ingredientes amazônicos pelas mãos da chef Daniela Martins. Foto: Nanda Melonio
Tapioquinha de caranguejo, escondidinho de camarão com jambu e purê de macaxeira: cozinha contemporânea com ingredientes amazônicos pelas mãos da chef Daniela Martins. Foto: Nanda Melonio

Araçá-boi, camu-camu, bacaba, uxi, beijo de moça, maniçoba, tucupi, beiju-xica, umari, buriti, muruci, bacuri, jambu, abricó, marimari… Você conhece, provou ou já ouviu falar? São frutas, pratos, ingredientes amazônicos: tão brasileiros quanto a feijoada mas, ainda assim, desconhecidos para boa parte do país.

Quando se trata de Amazônia, parece haver um véu, uma capa misteriosa sobre a região. Todo mundo sabe dizer que a floresta é importante, que deve ser defendida e preservada, mas no final das contas qual a razão? Por que se insiste em estereótipos com relação aos habitantes da região ao invés de procurar conhecer a realidade do próprio país? Como preservar a floresta e a tão falada biodiversidade da região sem ao menos saber do que se trata?

A Amazônia ainda é muito distante da realidade da maior parte dos brasileiros. Não se trata só de distância geográfica, posto que muita gente parece saber mais sobre o que acontece em Paris ou Nova Iorque do que em Rio Branco ou no Xingu. Faltam elementos que chamem a atenção do cidadão comum e a culinária pode ser um elo de aproximação entre esses dois “Brasis”, pois só quem conhece pode ajudar a preservar, tanto a floresta quanto as tradições.

Uma iniciativa que chama a atenção dentro desta perspectiva é o Ver-O-Peso da Cozinha Paraense. Em sua décima edição, o evento tem como objetivo divulgar a culinária regional e valorizar os ingredientes locais, promovendo a integração e o intercâmbio de conhecimentos entre a população e respeitados chefs de cozinha nacional e internacional através de jantares, aulas populares de gastronomia, degustações e o já tradicional jantar das Boieiras, onde as cozinheiras do mercado Ver-O-Peso criam pratos ao lado dos chefs convidados.

A programação do festival começará no dia 08 de março, com a exposição fotográfica “Comida Nossa” e a abertura do circuito gastronômico. O Festival propriamente dito ocorrerá entre os dias 11 e 15 de abril, promovendo a interação da alta gastronomia com a culinária paraense tradicional.

A valorização dos ingredientes locais promovida pela sua divulgação vai além da sua utilização na alta gastronomia: não só coloca chefs e gourmands em contato com a cultura amazônica e sua biodiversidade, como também ajuda a todos a se aproximar mais e valorizar o que a Amazônia tem e, assim, aprender a respeitá-la e preservá-la.

Leia também

Notícias
23 de maio de 2024

Governo finaliza processo de concessão do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães

Concessão tem prazo de 30 anos e é voltada para prestação de serviços públicos de apoio aos serviços turísticos da unidade. Valor inicial dos ingressos será de R$ 30

Notícias
22 de maio de 2024

Desmatamento na Mata Atlântica caiu 27% em 2023, mas encraves em outros biomas preocupam

Segundo dados da SOS Mata Atlântica, desmatamento em florestas maduras foi de 14.697 hectares; derrubadas em encraves no Cerrado e na Caatinga superou 69 mil hectares

Salada Verde
22 de maio de 2024

No dia da Biodiversidade, ICMBio cria quatro unidades de conservação privadas

RPPNs estão inseridas em três diferentes biomas, em área somada de cerca de 500 hectares. RPPNs de todo Brasil protegem cerca de 800 mil hectares

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.