Notícias

Cozinha da Amazônia: delícias que vão além do açaí

Como a gastronomia pode fazer com que os brasileiros conheçam melhor a Região Amazônica e aprenda a preservá-la

Nanda Melonio ·
17 de fevereiro de 2012 · 10 anos atrás
Tapioquinha de caranguejo, escondidinho de camarão com jambu e purê de macaxeira: cozinha contemporânea com ingredientes amazônicos pelas mãos da chef Daniela Martins. Foto: Nanda Melonio
Tapioquinha de caranguejo, escondidinho de camarão com jambu e purê de macaxeira: cozinha contemporânea com ingredientes amazônicos pelas mãos da chef Daniela Martins. Foto: Nanda Melonio

Araçá-boi, camu-camu, bacaba, uxi, beijo de moça, maniçoba, tucupi, beiju-xica, umari, buriti, muruci, bacuri, jambu, abricó, marimari… Você conhece, provou ou já ouviu falar? São frutas, pratos, ingredientes amazônicos: tão brasileiros quanto a feijoada mas, ainda assim, desconhecidos para boa parte do país.

Quando se trata de Amazônia, parece haver um véu, uma capa misteriosa sobre a região. Todo mundo sabe dizer que a floresta é importante, que deve ser defendida e preservada, mas no final das contas qual a razão? Por que se insiste em estereótipos com relação aos habitantes da região ao invés de procurar conhecer a realidade do próprio país? Como preservar a floresta e a tão falada biodiversidade da região sem ao menos saber do que se trata?

A Amazônia ainda é muito distante da realidade da maior parte dos brasileiros. Não se trata só de distância geográfica, posto que muita gente parece saber mais sobre o que acontece em Paris ou Nova Iorque do que em Rio Branco ou no Xingu. Faltam elementos que chamem a atenção do cidadão comum e a culinária pode ser um elo de aproximação entre esses dois “Brasis”, pois só quem conhece pode ajudar a preservar, tanto a floresta quanto as tradições.

Uma iniciativa que chama a atenção dentro desta perspectiva é o Ver-O-Peso da Cozinha Paraense. Em sua décima edição, o evento tem como objetivo divulgar a culinária regional e valorizar os ingredientes locais, promovendo a integração e o intercâmbio de conhecimentos entre a população e respeitados chefs de cozinha nacional e internacional através de jantares, aulas populares de gastronomia, degustações e o já tradicional jantar das Boieiras, onde as cozinheiras do mercado Ver-O-Peso criam pratos ao lado dos chefs convidados.

A programação do festival começará no dia 08 de março, com a exposição fotográfica “Comida Nossa” e a abertura do circuito gastronômico. O Festival propriamente dito ocorrerá entre os dias 11 e 15 de abril, promovendo a interação da alta gastronomia com a culinária paraense tradicional.

A valorização dos ingredientes locais promovida pela sua divulgação vai além da sua utilização na alta gastronomia: não só coloca chefs e gourmands em contato com a cultura amazônica e sua biodiversidade, como também ajuda a todos a se aproximar mais e valorizar o que a Amazônia tem e, assim, aprender a respeitá-la e preservá-la.

Leia também

Reportagens
30 de novembro de 2021

Há 8 anos na Câmara, projeto que cria uma lei para o mar ainda não tem votação à vista

Série de reportagens investiga motivos da longa tramitação do projeto de lei que institui a Política Nacional para Conservação e o Uso Sustentável do Bioma Marinho Brasileiro

Salada Verde
30 de novembro de 2021

Trilha Transmantiqueira ganha reconhecimento do Ministério do Meio Ambiente

A trilha de longo curso que cruza a Serra da Mantiqueira agora faz parte oficialmente do programa Rede Trilhas, para promover conectividade, conservação e turismo

Salada Verde
30 de novembro de 2021

Ibama abre concurso para contratar 568 servidores

Edital lançado nesta terça-feira (30) prevê a contratação de 136 analistas divididos por áreas temáticas e 432 técnicos ambientais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta