Notícias

Ambientalistas criticam o “desmonte da gestão ambiental” do país

No livro “Conservação da Natureza – e eu com isso?” lançada no VII CBUC, autores discutem os riscos e os desafios para as áreas protegidas.

Fabíola Ortiz ·
28 de setembro de 2012 · 9 anos atrás

O lançamento de "Conservação da natureza -- e eu com isso" movimentou o VII CBUC (Foto: Marcio Isensee)
O lançamento de "Conservação da natureza — e eu com isso" movimentou o VII CBUC (Foto: Marcio Isensee)

Natal (RN) – Em livro lançado no VII Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação (CBUC), em Natal, pela Fundação Brasil Cidadão, ambientalistas criticam o “desmonte da gestão ambiental” do país.

Segundo um dos organizadores do livro “Conservação da Natureza – e eu com isso?” em entrevista a ((o))eco, José Truda Palazzo, da  Rede Marinho-Costeira e Hídrica do Brasil, ainda vigora o discurso de que “a natureza atrapalha o progresso e as espécies da fauna atrapalham as obras desenvolvimentistas”.

Truda, que também foi colunista de ((o))eco por 7 anos, continuou afirmando que “o país vive uma política deliberada de desmonte da gestão ambiental o que inclui o desmonte das Unidades de Conservação. Estamos tentando contribuir para despertar a cidadania para a conservação da natureza no Brasil”.

José Truda Palazzo concede entrevista a ((o))eco. (Foto: Marcio Isensee)
José Truda Palazzo concede entrevista a ((o))eco. (Foto: Marcio Isensee)

Com artigos de mais de 10 autores, a obra tem ênfase nas UCs, mas também discute temas como a transposição do rio São Francisco, a perda da biodiversidade, geração de emprego e renda de UCs e proteção de espécies ameaçadas.

Segundo Truda, este é o primeiro lançamento de vários que serão feitos no Brasil. “Esperamos que os gestores públicos e a juventude possam atuar e abram a cabeça para se mobilizarem”.

O Brasil conta com 312 UCs federais, e passa de mil UCs se forem contadas as estaduais e municipais. “A implementação delas [UCs] é baixíssima e há uma enorme quantidade das áreas de uso múltiplo onde existe pouquíssima gestão, onde o pescador pesca de maneira predatória, o madeireiro desmata e o Estado está ausente. Falta fiscalização e proteção do patrimônio público natural que é de todo mundo”, defendeu Truda.

 

  • Fabíola Ortiz

    Jornalista e historiadora. Nascida no Rio, cobre temas de desenvolvimento sustentável. Radicada na Alemanha.

Leia também

Notícias
21 de janeiro de 2022

Em discurso de pré-candidatura, Ciro Gomes defende economia de baixo carbono

Durante a Convenção Nacional do PDT, o pré-candidato diz que a pauta ambiental é um instrumento de proteção dos ecossistemas e uma oportunidade de investimento

Análises
21 de janeiro de 2022

O Agro quer seguro rural, mas precisa mesmo é do Código Florestal

Sem cumprir as leis ambientais e sofrendo com mudanças climáticas, lideranças do Agro se mobilizam para ampliar o seguro rural com dinheiro público. Rios e florestas seguem em agonia. Moro já aderiu

Reportagens
21 de janeiro de 2022

Brasil registra recorde de extremos de chuva no início do verão

Entre 1º e 31 de dezembro de 2021, a equipe técnica do Cemaden emitiu 516 alertas de risco de desastres, como deslizamentos, inundações e enxurradas, para os 1.058 municípios monitorados

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta