Notícias

Pirarucu: a doçura do gigante de águas doces

O homenageado do ((o))eco esta semana é um dos maiores peixes de água doce do mundo, podendo pesar até 200 quilos. Foto: Cliff

Duda Menegassi ·
19 de outubro de 2012 · 12 anos atrás
Esta semana o homenageado do ((o))eco é um peixe e tanto. O pirarucu (Arapaima gigas) é um dos maiores peixes de água doce do mundo. Pode chegar a 3 metros de comprimento e pesar até 200 quilos. Nativo da Bacia Amazônica, vive em lagos e rios afluentes, de águas claras e sem fortes correntezas.

Seu nome vem do tupi e significa peixe vermelho, devido à cor da sua cauda. É um animal onívoro e sua alimentação inclui moluscos, crustáceos, insetos e outros peixes. Um dado curioso sobre o pirarucu é seu sistema respiratório: além das brânquias, responsáveis pela respiração aquática, ele possui a bexiga natatória modificada, que funciona como um pulmão na respiração aérea. Porém, apesar de parecer uma espécie resistente a baixos níveis de oxigênio da água graças a sua respiração fora d’água, o momento de ir à superfície para respirar faz do pirarucu um alvo fácil para os pescadores. Principalmente quando os filhotes estão recém-nascidos e os pais ficam mais próximos da superfície para ajudá-los com a respiração aérea e com isso diminuem seus intervalos de emersão. Esse período de cuidados paternais expõe o pirarucu aos pescadores e prejudica a reprodução da espécie, pois os filhotes sem o apoio paterno são presas fáceis para seus predadores naturais.

O estoque pesqueiro desse peixe diminui quando o ritmo da pesca predatória supera a capacidade de reprodução do pirarucu. O impacto nas populações e o risco de extinção fizeram o Ibama criar, em 2004, uma regulamentação para a pesca do pirarucu na Amazônia, criando um período de resguardo e decretando tamanhos mínimos para a pesca e comercialização da espécie. Foto: Cliff

 

 

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Colunas
17 de abril de 2024

Declaração de Barcelona define novos rumos para a Década do Oceano

O encerramento do evento oficializou a primeira conferência da Década do Oceano de Cidades Costeiras que ocorrerá em 2025 na cidade de Qingdao, na China.

Salada Verde
17 de abril de 2024

Marina Silva é uma das 100 pessoas mais influentes de 2024, segundo a Time

Selecionada na categoria “líderes”, perfil de Marina destaca a missão da ministra em prol do combate ao desmatamento ilegal na Amazônia. Ela é a única brasileira citada na lista de 2024

Reportagens
17 de abril de 2024

Em audiência pública na ALMG, representantes da UFMG alertam para impactos da Stock Car

Reunião contou com reitora e diretores da universidade, mas prefeitura e organizadores da corrida faltaram; deputada promete enviar informações a patrocinadores da Stock Car

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.