Notícias

Mapa interativo mostra desmatamento dos 9 países da Amazônia

Parceria entre ((o))eco e o sistema Terra-i possibilita a inclusão de dados sobre a destruição da floresta tropical na plataforma InfoAmazonia. Dados serão atualizados a cada 3 meses. 

Redação ((o))eco ·
25 de outubro de 2012 · 9 anos atrás


Desmatamento na Amazônia boliviana, no departamento de Pando, fronteira com o Acre. Sistema Terra-i terá informações disponíveis via o ((o))eco InfoAmazonia.

A plataforma de mapas interativos de ((o))eco, o InfoAmazonia.org , disponibilizou nesta quinta dados de desmatamento dos 9 países que detêm a maior floresta tropical do planeta.

Até então, desde que lançado na Rio+20, o InfoAmazonia agregava apenas informações sobre áreas desmatadas no Brasil. A partir de agora, o desmatamento poderá ser acompanhado nas florestas do Bolívia, Colômbia, Equador, Peru, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

Mapa abaixo mostra região de Caquetá, na Colômbia, onde saída das FARC possibilitou retorno dos produtores e maior desmatamento. Utilize comandos de zoom para navegar

Os dados da PanAmazônia foram incluídos no mapa do desmatamento graças a uma parceria com o sistema Terra-i, um consórcio de pesquisadores que utiliza imagens dos satélites Aqua e Terra para fazer um monitoramento a cada 16 dias da destruição da floresta. A série histórica do Terra-i inicia-se em 2004 e os dados mais recentes mostram desmatamentos de maio de 2012. A atualização é disponibilizada a cada 3 meses.

Já as informações sobre o desmatamento no Brasil presentes no InfoAmazonia são providas pelos dois sistemas de monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). O Prodes, considerada a taxa oficial de desmatamento, é atualizado uma vez por ano. E o Deter, o sistema de alertas em tempo real, é disponibilizado a cada mês .

Um dos colaboradores do projeto, o professor Mark Mulligan, do King´s College de Londres, explicou em conversa telefônica que o Terra-i funciona a partir de um programa (ou algoritmo) que permite aos computadores identificarem alterações fora do padrão comum das variações naturais da vegetação. O monitoramento do sistema abrange toda a América Latina, mas no caso do InfoAmazonia ,os limites utililizados para definir as fronteiras da PanAmazônia são aqueles adotados pela Rede Amazônica de Informação Sociambiental Georeferenciada (RAISG).

Além do King´s College, as organizações que colaboram com o Terra-i são o Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT – DAPA, baseado na Colombia), a organização não governamental The Nature Conservancy (TNC) e a School of Business and Engineering –HEGI-VD, escola de engenharia baseada na Suíça.

Uma das tendência identificadas pelo Terra-i é um aceleramento da destruição das florestas da Colômbia na região de Caquetá (Veja análise aqui). A região estava sob domínio das FARC até o início dos anos 2000. Mas o processo de pacificação permitiu que produtores locais voltassem a produzir grãos e aumentarem as fazendas de gado leiteiro, como mostrou reportagem de ((o))eco Amazonia (veja mapa interativo acima).

Vídeo abaixo mostra a evolução do desmate desde 2004 até Junho de 2011

Acesse a plataforma InfoAmazonia para ver o desmatamento nos 9 países

Leia também
InfoAmazonia mostra a grande floresta como você nunca viu
Reportagens sobre desmatamento

Leia também

Notícias
25 de junho de 2012

InfoAmazonia mostra a grande floresta como você nunca viu

Nova plataforma de geolocalização permite mapear reportagens sobre a região e acumular dados de desmatamento, incêndios e mineração.

Notícias
26 de junho de 2012

InfoAmazonia é lançado para a Rio+20

Conheça o InfoAmazonia, ferramenta que usa mapas para contextualizar dados sobre a região, alimentados por um rede de ONGs e jornalistas.

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta