Análises

Dez coisas que você deveria saber sobre barragens

Embora produzam uma fatia grande da energia e da irrigação de colheitas no mundo, são caras, deslocam pessoas e costumam ter alternativas melhores.

Peter Bosshard ·
2 de junho de 2014 · 8 anos atrás

1- 50.000 Grandes Barragens obstruem rios do mundo

Cerca de 50.000 barragens com uma altura de 15 metros ou mais e milhões de represas menores foram construídas sobre os rios ao redor do mundo. Algumas delas datam de séculos, mas a maioria foi construída após a Segunda Guerra Mundial. Cerca de 5.000 barragens têm uma altura de 60 metros ou mais; outras 350 gigantes estão atualmente em construção.

2- Barragens estão mudando a face da Terra

Barragens fragmentaram dois terços dos grandes rios do mundo e inundaram uma área do tamanho da Espanha. Seus reservatórios contêm três vezes mais água que todos os rios do mundo, e perdem sem parar com evaporação uma quantidade de água semelhante a quatro Niagara Falls. Barragens acumulam 40 quilômetros cúbicos de sedimentos por ano, e assim secam os deltas dos rios do lodo que os protege contra a invasão da água do mar.

3- Barragens oferecem importantes serviços

Elas geram 16% da eletricidade do mundo e irrigam as culturas de alimentos para 12-15% da população mundial. Em menor medida, as barragens também servem para o abastecimento de água, proteção contra inundações, navegação e turismo. A maioria das barragens foi construída para irrigação, mas 80% da água que armazenam é utilizada para gerar energia hidrelétrica.

4- Barragens matam peixes

Barragens bloqueiam a migração de peixes, esgotam o oxigênio dos rios e interferem com os gatilhos biológicos que guiam os peixes. Eles também reduzem a capacidade autolimpeza dos rios. Devido à construção de barragens e de outros fatores, a população de espécies de água doce diminuiu 37% entre 1970-2008 — mais do que as populações de todos os outros ecossistemas. Populações de espécies tropicais de água doce diminuíram impressionantes 70%.

5- Barragens estão mudando o clima

Barragens não são neutras em relação ao clima. Em particular nas regiões tropicais, a matéria orgânica em decomposição em seus reservatórios emite metano, um gás de efeito estufa agressivo. Os cientistas estimam que os reservatórios sejam responsáveis por 4% de toda a alteração do clima produzida pelo homem, o que equivale ao impacto da aviação sobre o clima. As inundações e as secas causadas por mudanças climáticas, por sua vez, tornam as barragens menos seguras e econômicas.

6- Barragens deslocam pessoas

Barragens já moveram cerca de 80 milhões de pessoas, 23 milhões só na China. Esse deslocamento rouba das pessoas que já são pobres e marginalizadas de seus recursos, habilidades e identidade cultural, e os empobrece ainda mais. Barragens também tiveram um impacto negativo sobre cerca de 500 milhões de pessoas que vivem à jusante http://pt.wikipedia.org/wiki/Jusante . Os benefícios das barragens, com frequência, ignoram as próprias pessoas que tiveram suas vidas sacrificadas por elas.

7- Barragens podem colocar os direitos humanos em risco

A maioria das barragens que deslocam grandes populações está sendo construída por governos autoritários. Na Birmânia, China, Colômbia, Etiópia, Guatemala, Sudão e outros países, construtores de barragens, muitas vezes reagiram à oposição a ela com graves violações dos direitos humanos. No pior massacre relacionado a uma barragem, mais de 440 indígenas foram mortos para dar lugar à represa Chixoy, na Guatemala, em 1982.

8- Barragens são caras

As grandes barragens estão entre os investimentos mais caros já feitos por muitos governos. Estima-se que 2 trilhões de dólares já foram gastos em barragens desde 1950. Devido a erros de planejamento, problemas técnicos e corrupção, barragens sofrem atrasos médios de 44% e aumentos de custo de 96%. Esses enormes excessos as tornam economicamente inviáveis.

9- Barragens não duram para sempre

Mais cedo ou mais tarde reservatórios se tornam assoreados, e o custo de manutenção de barragens cresce além dos seus benefícios. Nos Estados Unidos, mais de 1000 barragens foram removidas, mas a altos custos. Quando as barragens não são adequadamente construídas ou mantidas, eles podem arrebentar. No maior desastre de barragem do mundo, o fracasso da represa Banqiao, na China, matou cerca de 171.000 pessoas em 1975.

10- Melhores soluções costumam estar disponíveis

Em 2012, os governos e as empresas instalaram 75 gigawatts de energia eólica e solar, em comparação com 30 gigawatts de energia hidrelétrica. Essas alternativas parecem ainda melhores quando os impactos sociais e ambientais e os custos de transmissão são contabilizados. A Agência Internacional de Energia propôs que 60% dos fundos necessários para universalizar o acesso à energia devem ser usados em projetos locais de energia renovável.

Leia também
Especial sobre as hidrelétricas do Tapajós
Rondônia está debaixo d’água, culpa das hidrelétricas?
Hidrelétricas do Madeira: a guerra dos Megawatts

 

 

 

  • Peter Bosshard

    Peter Bosshard é o diretor de políticas da ONG International Rivers

Leia também

Salada Verde
16 de maio de 2022

((o))eco oferece curso gratuito de jornalismo ambiental para estudantes da Amazônia Legal

Participantes poderão concorrer a uma bolsa de 3 mil reais para produzir uma reportagem sobre a Amazônia

Notícias
16 de maio de 2022

Brasileiro recebe prêmio internacional por trabalho na conservação do tatu-canastra

O prêmio Future for Nature Awards 2022 reconheceu o trabalho do biólogo Gabriel Massocato no Programa de Conservação do Tatu-Canastra

Notícias
16 de maio de 2022

Deputado do AM quer flexibilizar licenciamento ambiental da BR-319 para facilitar conclusão das obras

Projeto é semelhante à manobra já tentada em 2015 pelo governo do estado para assumir competência sobre licenciamento, hoje de responsabilidade do Ibama, diz pesquisadora

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta