Notícias

Peru: os riscos que corre Loreto

Novo livro de Marc Dourojeanni reflete sobre o futuro e como reduzir o impacto do desenvolvimento nessa região ainda bem preservada.

Redação ((o))eco ·
7 de agosto de 2013 · 8 anos atrás

Paisagem próxima a cidade de Iquitos, Loreto, o maior departamento do país e ainda bem preservado. Foto: Attraction Voyages Pérou & Bolivie
Paisagem próxima a cidade de Iquitos, Loreto, o maior departamento do país e ainda bem preservado. Foto: Attraction Voyages Pérou & Bolivie

Com 37 milhões de hectares, o departamento de Loreto equivale a quase um terço do Peru, mas é um dos mais pobres do país. Sua população é pouco acima de um milhão de habitantes, dos quais mais de 100 mil são indígenas. Loreto também é bastante isolado, com apenas 390 km de estradas construídas. O transporte atual é em geral fluvial ou aéreo. Por causa desse isolamento, seus recursos naturais têm sido pouco explorados e suas florestas sofreram uma taxa de 3,6% de desmatamento contra a média peruana entre 11 e15%.

Mas essa situação tende a mudar nos próximos anos com os planos de construção de 2,6 mil quilômetros de estradas, várias ferrovias e a transformação de 4,2 mil quilômetros de rios em hidrovias. Está prevista a construção de 5 hidrelétricas e o departamento (equivalente ao que seria um estado da federação no Brasil) de Loreto também está recebendo volumosos investimentos na prospecção e exploração de petróleo.

É impossível evitar que Loreto passe por uma transformação econômica. Por isso, é um desafio imaginar como reduzir o impacto das mudanças que virão. Essa reflexão é o cerne do novo livro Loreto Sostenible al 2021, de Marc Dourojeanni, professor emérito da Universidade Nacional Agrária de Lima, Peru, e também colunista de ((o))eco.

No texto, Dourojeanni não imagina parar as atividades de mineração, exploração de petróleo e de madeira, mas procura pensar quais são as melhores opções que as compatibilizem com um futuro o mais sustentável possível. Ele faz sugestões sobre as formas de melhorar o transporte, a matriz energética e também fala sobre a urgência da regularização fundiária na Amazônia Peruana, um problema também fundamental no Brasil.

A publicação, no original em espanhol, está disponível online e pode ser baixada gratuitamente:

Loreto Sostenible al 2021
Autor: Marc Dourojeanni
Páginas: 354 (com resumo executivo de 39 pág.)
1ª publicação: maio de 2013

Resumo Executivo
1ª parte – Diagnóstico
2ª parte – Prognóstico
3ª parte – Alternativas

 

 

 

 

 

Leia também

Reportagens
25 de outubro de 2021

Como os estados cuidam da Amazônia: comparamos dados de proteção, orçamento e desmatamento

Análise exclusiva do ((o))eco se debruça sobre dados ambientais dos nove estados da Amazônia Legal para compreender diferenças e semelhanças nas políticas públicas regionais

Notícias
22 de outubro de 2021

“Adote um ninho”: Conheça a campanha para a preservação dos papagaios brasileiros

Campanha busca incentivar a proteção dos papagaios por meio da construção de ninhos artificiais para suprir a falta de cavidades naturais, que estão diminuindo por conta do desmatamento

Análises
22 de outubro de 2021

Por uma nova onda de soluções para a resiliência e a saúde do oceano

Estudo do FMI estima que 8 milhões de toneladas de lixo plástico acabam no mar todos os anos, sendo 80% provenientes do continente. Se não mudarmos esse quadro, o oceano terá mais lixo do que peixes até 2050

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta