Notícias

Desmatamento quadruplica no Equador, detecta Terra-i

Sistema que monitora o desmatamento na América Latina indica que a derrubada de florestas no Equador explodiu nas primeiras semanas de 2013.

Vandré Fonseca ·
9 de setembro de 2013 · 10 anos atrás

Foto: Jami Dwyer/Domínio Público
Foto: Jami Dwyer/Domínio Público

Manaus, AM – O desmatamento no Equador nos primeiros 80 dias de 2013 foi quatro vezes maior do que o registrado no mesmo período de 2012, segundo dados divulgados em agosto pela iniciativa Terra-i, uma colaboração entre instituições de pesquisa e organizações não-governamentais que monitora o desmatamento na América Latina. Entre os dias 1o. de janeiro e 7 de março de 2013, foram desmatados 9.075 hectares de florestas no Equador, enquanto que, no mesmo intervalo de tempo, no ano passado foram 2.931 hectares. O Terra-i utiliza dados de satélites da Agência Espacial Americana, a Nasa, equipados com sensores Modis.

A notícia foi publicada no site Mongabay.com, especializado em notícias sobre as florestas tropicais, que destacou o anúncio do presidente equatoriano Rafael Correa de desistir da ideia de, em troca de dinheiro, proibir a exploração de petróleo no Parque Nacional de Yasuni, um dos mais afetados pelo desmatamento no país. Segundo o site, dos US$ 3,6 bilhões pretendidos por Correa, apenas US$ 13 milhões foram efetivamente arrecadados.

A ideia foi apresentada às Nações Unidas em 2008 e apostava na intenção dos países ocidentais de evitar a emissão de 407 milhões de toneladas de Dióxido de Carbono para a atmosfera. Mas o projeto enfrentou dificuldades, conforme informações do site, principalmente devido à desconfiança em relação ao uso que o país faria do dinheiro, à instabilidade política do Equador e se o presidente Rafael Correa iria manter a promessa. O principal revés do projeto ocorreu em 2011, quando a Alemanha, que havia se comprometido a doar US$ 50 milhões, desistiu da contribuição.

 
Dados obtidos pelo Terra-i. | Clique para ampliar.

Os dados da iniciativa Terra-i indicam que dois terços do desmatamento ocorreram nos ecossistemas considerados mais ricos em biodiversidade e também com maior concentração de Carbono, as florestas úmidas. O Parque Nacional de Yasuni perdeu mais de 6,5 mil hectares de cobertura florestal desde 2004, quando o monitoramento da Terra-i começou. A taxa de desmatamento no Equador aumentou 26% entre 2004 e 2012.

A iniciativa indica também que o país, apontado pelas Nações Unidas como um dos maiores desmatadores da América Latina, perde anualmente 1,8% de sua cobertura vegetal, ou seja, 16.100 hectares a cada ano. Em nove anos, foram desmatados no país quase 150 mil hectares.

Dados
País: Equador
Área: 28.352.000 hectares
Desmatamento 2012: 21.918,8 hectares

 

 

Leia Também
Presidente do Equador anuncia que explorará petróleo em reserva
Podcast: estrangeiros deixam Equador na mão
Queimadas voltam a afetar municípios da Amazônia Boliviana

 

 

 

Leia também

Notícias
29 de fevereiro de 2024

Queimadas na Amazônia atingem número recorde em fevereiro

Puxado por Roraima, número de focos de calor registrados pelo INPE no mês é o maior em 25 anos de medições

Reportagens
29 de fevereiro de 2024

No quadrilátero ferrífero, em Minas Gerais, a descoberta de uma árvore é também esperança

Embora tenha caído a taxa de desmatamento na região no último ano, se acende um alerta para a fiscalização da extração de minérios, próxima da região

Salada Verde
29 de fevereiro de 2024

Oportunidade | ((o))eco abre vaga para estágio em marketing

Estudantes a partir do 5º período que se interessem pela temática ambiental podem se inscrever entre 1 e 10 de março. Vaga é para o Rio de Janeiro

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.