Notícias

Espécie rara de anfíbio é registrada em Minas Gerais

Medindo o tamanho de uma unha, o sapo vive dentro de bromélias é encontrado apenas no Parque Estadual do Pico do Itambé, em Minas Gerais.

Daniele Bragança ·
4 de novembro de 2013 · 9 anos atrás
Medindo cerca de 15 mm, o sapo da bromélia não é maior que um polegar humano. Foto: Guilherme Ferreira/Instituto Biotrópicos.

A mais nova espécie de anfíbios descrita é tão pequena quanto uma unha, passa a vida dentro de uma bromélia e só é encontrada em um ponto específico no Parque Estadual do Pico de Itambé. A Crossodactylodes itambe foi descrita na última sexta-feira (01) na revista Zootaxa. Mede cerca de 15 mm  de comprimento e vive dentro de bromélias.

O gênero inclui mais 3 espécies e todas elas ocorrem em altitudes elevadas e ocupam bromélias durante toda a sua vida. É uma espécie endêmica. Até o momento, o sapinho da bromélia, como é chamado pelos moradores, foi registrada apenas no Parque Estadual do Pico do Itambé, em Minas Gerais, numa área inferior a 0,1 km². Daí surgiu seu nome científico.

A pesquisadora Izabela Barata investiga uma bromélia atrás da Crossodactylodes itambe. Foto: Guilherme Ferreira/Instituto Biotrópicos.

“O registro da nova espécie amplia a área de ocorrência do gênero, que era conhecido em poucas localidades da Mata Atlântica” comemora Izabela Barata, a principal autora da descoberta e pesquisadora do Instituto Biotrópicos. “Temos que avaliar o quanto a espécie é restrita e quais variáveis climáticas podem influenciar a distribuição e ocorrência desta espécie”.

Os anfíbios são muitos vulneráveis às mudanças no ambiente. Não por acaso, estão no topo da lista de vertebrados mais ameaçados do planeta da IUCN (União Mundial para a Conservação da Natureza). Os pesquisadores acreditam que a temperatura e umidade são fatores importantes para a preservação do sapinho da bromélia. O monitoramento da espécie contribuirá para entender as consequências das mudanças climáticas na biodiversidade brasileira.

O pequeno anfíbio. Foto: Izabela Barata/Instituto Biotrópicos.

 

Saiba Mais (artigo original)
A new species of Crossodactylodes (Anura: Leptodactylidae) from Minas Gerais, Brazil: first record of genus within the Espinhaço Mountain Range. IZABELA M. BARATA, MARCUS T.T. SANTOS, FELIPE S.F. LEITE, PAULO C.A. GARCIA.

Leia Também
Balanço da busca global por anfíbios
Sapinho descoberto na Oceania é menor vertebrado do mundo
Uma nova perereca e o sapo que copula com a fêmea morta

 

 

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
17 de maio de 2022

Amazônia tem mais de 425 mil famílias sem energia elétrica

Brasil avança na universalização da energia, mas população de áreas remotas da Amazônia ainda demandam acesso à eletricidade. Pandemia atrasou cronograma

Notícias
17 de maio de 2022

Para beneficiar pecuária, Acre reduz em até 80% imposto sobre comercialização de gado

ICMS a ser pago por pecuaristas acreanos cai de 12% para 2,4% na venda para alguns estados. Medida pode resultar em mais desmatamento, diz pesquisadora

Análises
17 de maio de 2022

Oportunidades e desafios para a implementação do Código Florestal brasileiro

A lentidão na implementação do Código Florestal representa o desperdício de uma valiosa oportunidade de transformar o uso da terra no Brasil

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta