Notícias

Homem morre ao ser mordido por cobra coral

Caso aconteceu na cidade de Caetité, na Bahia. Homem identificado como Marcelo aparentava estar embriagado e brincava com a serpente

Sabrina Rodrigues ·
15 de abril de 2019 · 4 anos atrás
A cobra coral possui veneno forte e letal. Foto: Luiz Carlos Rocha/Flickr.

Um homem morreu após ser mordido por uma cobra coral no bairro Ovídio Teixeira, na cidade de Caetité, na Bahia. Identificado por Marcelo, a vítima estava embriagada e brincava com a serpente, conforme o vídeo publicado na internet. O caso aconteceu no dia 05 de abril.

Na gravação, dá para ver que Marcelo estava acompanhado de outro homem que lhe dava “instruções” de como pegar a cobra. “Cuidado para ela não ferroar pelo cabo. Segura, segura, não deixa ela torcer não”, dizia o colega de Marcelo.

“Aí, mordeu! Mordeu!” afirmou Marcelo logo após. Em seguida, o vídeo mostra Marcelo já no chão, desacordado com outras pessoas em volta.

Assista ao vídeo:


Segundo a Polícia Militar, a vítima chegou a ir para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu.

As cobras corais pertencem à família Elapidae. Essas serpentes possuem veneno forte e letal. No Brasil, dos 30 mil acidentes por ano com serpentes, 0,4% são provocados por corais. “Coral não dá bote. O acidente ocorre quando o animal é manipulado ou quando se pisa nele”, afirma o biólogo Giuseppe Puorto, diretor do Museu Biológico do Instituto Butantan.

O biólogo informa também que poucas pessoas morrem ao ser mordidas por serpentes. Dos 30 mil acidentes por ano, somente 150 vão a óbito, menos de 0,5%. “É muito difícil fazer uma análise sem saber a causa Mortis!”, afirma Giuseppe Puorto.

O diretor do Museu Biológico do Instituto Butantan também dá dicas do que fazer para prevenir acidentes com serpentes e o que deve ser feito em caso de picada:

– não manipular serpentes vivas ou mortas;

– nunca se deve segurar uma serpente da forma que o Sr. do vídeo faz;

– este procedimento deverá ser feito, se necessário, por profissional habilitado;

– em caso de acidente:

– manter a calma;

– lavar o local atingido com água e sabão se possível;

– encaminhar a pessoa acidentada ao serviço médico mais próximo;

– não fazer torniquete ou garrote;

– não ingerir bebida alcoólica ou querosene;

– não colocar nada sobre o ferimento;

– não cortar, furar ou fazer sucção.

O Instituto Butantan foi criado em 23 de fevereiro de 1901 e é o principal responsável por grande parte dos soros e vacinas produzidas no Brasil. O Butantan produz a quantidade necessária para atender a demanda do Ministério da Saúde. Dessa forma, 15 mil frascos-ampola foram contratados pelo Ministério ao Butantan para entrega no ano de 2018.

De acordo com  a gestora de projeto do Núcleo Estratégico de Venenos e Antivenenos, Fan Hui Wen, o antiveneno produzido para combater o envenenamento por coral verdadeira denomina-se soro antielapídico (derivado do nome científico da família das corais, Elapidae).

A distribuição deste e dos demais antivenenos é de responsabilidade do órgão federal juntamente com as secretarias estaduais de saúde, que encaminha os soros para as unidades de saúde de referência para o tratamento dos acidentes por animais peçonhentos.

 

Leia Também

Polícia Civil da Paraíba atropela jiboia de quase 3 metros

Homem grava vídeo maltratando sucuri

Descoberta uma nova espécie de cobra-coral na Mata Atlântica

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
17 de junho de 2014

Descoberta uma nova espécie de cobra-coral na Mata Atlântica

Batizada de Micrurus potyguara, em homenagem aos índios Potiguares, cobra coral verdadeira de pequeno porte foi descrita em abril.

Notícias
30 de setembro de 2015

Homem grava vídeo maltratando sucuri

Cena foi divulgada nas redes sociais. Acusado foi autuado e terá que pagar mil reais, além de responder a processo por crime ambiental.

Notícias
19 de agosto de 2018

Polícia Civil da Paraíba atropela jiboia de quase 3 metros

Animal tentava atravessar a rua quando animal foi atropelado pela viatura. Não se sabe qual o estado de saúde da cobra

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 8

  1. Otávio diz:

  2. Vicente diz:

    Perdir meu primo afilhado ontem pois foi mordido por uma cobra semana passada


  3. Joao alves diz:

    O Diretor do Betânia disse que uma vítima tem de 4 a 10 horas pra ser atendido com boas chances de sobreviver, como o homem do vídeo morreu tão rápido? Não entendi


    1. Rapha diz:

      Olha biologos dizem que as pessoas tem no maximo 4 horas de vida e mesmo tomando o soro ainda tem chance de morrer, mesmo tomando o "antidoto" antes das 4 horas é uma toxina muito filha da puta!


  4. Torazzi diz:

    que gente mais burra. além de brincar com uma coral ficaram com medo do rabo e quando foi mordido falou "não tenho medo não" e mesmo quando estava no chão não levaram para o hospital. 😒


  5. David diz:

    O pior é que tem pessoas que culpam a cobra…nem existe motivo para ter medo de cobra ou aranha.


  6. George diz:

    Boa, Marc. Se vê pelo relato que o inocente queria evitar o rabo da cobra. Assim, provavelmente pegou pelo lado errado.

    Por outro lado, embriagado, brincando com cobra coral… mais uma prova que Darwin estava certo.


  7. Marc Dourojeanni diz:

    Para a redação do OEco…. as cobras não picam. Elas mordem. Isso de "Cuidado para ela não ferroar pelo cabo” aporta uma boa ideia da tal de sabedoria popular.