Notícias

Metas para o Ibama vinculam gratificações a licenças liberadas

Portaria associa meta para gratificação a número de licenças ambientais aprovadas pelo órgão. Ministério do Meio Ambiente reavaliará norma

Sabrina Barbosa ·
29 de junho de 2017 · 5 anos atrás
Portaria determina que as gratificações dos servidores do Ibama serão de acordo com o número de licenças ambientais aprovadas pelo órgão federal. Foto: Ibama/Flickr.
Portaria determina que as gratificações dos servidores do Ibama serão de acordo com o número de licenças ambientais aprovadas pelo órgão federal. Foto: Ibama/Flickr.

Mais um ingrediente é acrescentado ao caldeirão de turbulências causadas pelas tentativas de enfraquecer a legislação ambiental. A Portaria MMA nº 216/2017, publicada há 10 dias no Diário Oficial da União, determina as metas institucionais do IBAMA de junho de 2017 a maio de 2018. Até aí, nada de novo, se não incluísse, na norma, que a gratificação dos servidores seria vinculada ao número de licenças ambientais emitidas pelo órgão.

Pela portaria, o Ibama deverá conceder 19 licenças prévias (LP), 49 licenças de instalação (LI) e 76 licenças de operação (LO).

A gratificação pelo cumprimento da meta representa, hoje, quase 40% do salário do analista ambiental do Ibama. Se a quantidade de licenças emitidas não chegar na meta, isso faz com que os pontos da meta institucional sejam reduzidos e, assim, a gratificação também.

Essa vinculação entre licença emitida e meta institucional não é inédita no Ibama. Até 2011, funcionava assim, mas de 2012 para cá, a meta institucional não foi mais definida como a quantidade de licenças emitidas, mas sim de analisadas. Nesse cálculo, entrava licenças negadas e deferidas.

As novas metas estabelecidas geraram preocupação entre os servidores do Ibama, pois entende-se que a decisão irá produzir uma enorme pressão (e um incentivo indevido) sobre os servidores na análise dos processos de licenciamento, já que a obrigação é de realizar as devidas análises e emitir pareceres conclusivos e não necessariamente favoráveis à emissão da licença pretendida.

A decisão teve reação imediata dos servidores do Ibama, que através da Associação dos Servidores no DF (ASIBAMA-DF), enviaram uma carta para a Presidente do órgão, Suely Araújo (Leia aqui). O documento expressa o “risco da vinculação salarial da Gratificação de Desempenho a uma meta exclusivamente de emissão de licença, prerrogativa esta que compete ao Gabinete da Presidência do Ibama, e não ao corpo técnico da DILIC (Diretoria de Licenciamento Ambiental)”.

Os servidores pedem a retificação da Portaria nº 216 do Ministério do Meio Ambiente para retirada do seu escopo das metas institucionais referentes à DILIC, até que sejam definidas novas metas

Por meio de nota, o Ministério do Meio Ambiente afirma que a Diretoria de Licenciamento está reavaliando os indicadores referentes à avaliação de desempenho institucional tendo em vista possível alteração.

 

Leia Também

O que é Licenciamento Ambiental

Retrocesso do licenciamento no Brasil põe crédito do país em risco

O sino da morte está batendo para o licenciamento — e ninguém dá a mínima

 

 

 

Leia também

Análises
26 de abril de 2017

O sino da morte está batendo para o licenciamento — e ninguém dá a mínima

O licenciamento dos sonhos dos ruralistas e da CNI é também o licenciamento dos sonhos do conluio entre empreiteiras e agentes políticos — aquele com o qual a sociedade está supostamente enojada

Análises
27 de junho de 2017

Retrocesso do licenciamento no Brasil põe crédito do país em risco

Projeto que enfraquece legislação brasileira de licenciamento ambiental restringe acesso a grandes bancos e agências de fomento internacionais

Dicionário Ambiental
30 de junho de 2013

O que é Licenciamento Ambiental

Um guia ((o))eco para que você aprenda um pouco mais sobre o instrumento de administração pública intitulado licenciamento ambiental.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 4

  1. AAI diz:

    É assumir publicamente que, pagando bem, tá tudo certo e liberado!
    Ainda bem que os próprios servidores são contra esse absurdo!!!


  2. BioBio diz:

    Por favor, um pouco mais de ênfase no fato de que nos governos anteriores…Lulah…tb foi assim!!!!


  3. Francisco diz:

    É brincadeira isso, uma pouca vergonha. Um absurdo este assunto e, sendo discutido se vão retira-lo ou não. Como pessoas assim gerem um Ministério do Meio Ambiente no Brasil, publicando uma Portaria destas?


  4. paulo diz:

    Explicado então.
    Por isso vimos no passado e no presente, licenciamentos aprovados com critérios bastante duvidosos. Alguns vergonhosos.

    Lembra o ponto pagou levou.