Notícias

Nova espécie de peixe-elétrico é descoberta no Panamá

Variando entre 16 cm a 30 cm de comprimento, o Eigenmannia meeki é o primeiro peixe-elétrico descrito da América Central

Sabrina Rodrigues ·
4 de abril de 2017 · 5 anos atrás
Nova espécie de peixe-elétrico descoberta no Panamá, a Eigenmannia meeki. Foto: Museu Emílio Goeldi/Divulgação.
Nova espécie de peixe-elétrico descoberta no Panamá, Eigenmannia meeki. Foto: Museu Emílio Goeldi/Divulgação.

Embora o imaginário popular ache que todos os peixes-elétricos soltam descargas, a grande maioria usa os sinais elétricos apenas para se orientar entre os igarapés, cachoeiras e grandes rios onde vivem. Com os sinais elétricos, eles conseguem identificar predadores e obstáculos no caminho, encontrar outros da mesma espécie e até saber se estão prontos para a reprodução. Esse é o caso do pequeno Eigenmannia meeki, a nova espécie descoberta na bacia do rio Tuíra, no Panamá, o primeiro a ser descrito nas bacias da América Central.

Pequeno, com comprimento variando de 16 cm a 30 cm, difere das outras espécies do gênero pela posição da boca, padrão de coloração, número de escamas, e disposição dos dentes. A descrição da espécie foi publicada na revista científica Copeia, pelos pesquisadores Guilherme Moreira Dutra, Carlos David Santana e Wolmar Benjamin Wosiacki, todos ligados ao Museu Emílio Goeldi, do Pará.

Os pesquisadores destacam a importância da descoberta da Eigenmannia, que embora já fosse conhecida no Panamá desde 1916, havia uma carência de material em boas condições para descrever a espécie. A descrição amplifica os conhecimentos da diversidade desses animais, fazendo com que seja possível investigar fatores de impacto ambiental e de ameaças. “O esforço para se conhecer a diversidade de Eigenmannia é contínuo. Em 2015, sete espécies foram descritas para o gênero, sendo cinco na Amazônia, e duas descritas nos últimos dois anos. Em 2017, pelo menos mais duas novas espécies serão apresentadas pela ciência”, afirma o pesquisador Guilherme Moreira Dutra.

 

Leia Também

Imitando a fera: novas espécies de peixe-elétrico

Nova espécie de peixe vive menos de um ano

Lanternas vivas

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Colunas
1 de fevereiro de 2010

Lanternas vivas

O diretor de Avatar inspirou-se no mar. Usou e abusou de uma propriedade biológica marinha na decoração de seus cenários: a bioluminescência, principal fonte de luz dos oceanos.

Notícias
5 de dezembro de 2014

Nova espécie de peixe vive menos de um ano

Ainda sem nome popular, peixinho descoberto no Rio Grande do Sul vive em poças d água. Quando elas secam, eles não resistem.

Notícias
29 de agosto de 2013

Imitando a fera: novas espécies de peixe-elétrico

Duas novas espécies foram descobertas na Amazônia. Uma delas emite uma corrente monofásica, diferente de outras do mesmo gênero.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Tuvira diz:

    Mais uma tuvira pra gente usar de isca nas pescaria