Notícias

Nova plataforma monitora áreas de mineração na Amazônia

Através de uma ferramenta de inteligência artificial alimentada com imagens de alta resolução, a plataforma de monitoramento identifica áreas com características de mineração

Duda Menegassi ·
7 de abril de 2022

A mineração e, em especial, o garimpo, tem ganhado protagonismo na cobertura jornalística, devido aos seus impactos em rios e florestas, como visto na região do Tapajós, no Pará. Nesta quinta-feira (07), jornalistas e pesquisadores ganharam uma nova ferramenta para investigar a atividade na Amazônia, a plataforma Amazon Mining Watch. A iniciativa, desenvolvida em parceria pelo Rainforest Investigations Network (RIN) do Pulitzer Center e a Earthrise Media, utiliza inteligência artificial para “ler” imagens de satélite em alta resolução e detectar padrões de áreas usadas por garimpos de ouro e outras atividades de mineração a céu aberto na região amazônica. 

A plataforma permite que a mineração seja monitorada de forma remota por jornalistas, por exemplo, para levantar dados e embasar reportagens investigativas. A Amazon Mining Watch não distingue, entretanto, atividades legais (aquelas com as devidas autorizações) e ilegais. 

Para fazer o reconhecimento das áreas de garimpo são utilizadas características topográficas. Em sua versão beta, a plataforma é capaz de analisar 326 milhões de imagens de alta resolução – que cobrem toda a extensão da Amazônia, não apenas no Brasil – a cada quatro meses. Através de um algoritmo treinado pelos pesquisadores, a ferramenta identificou uma área com características de atividade de mineração do tamanho de 6,8 mil quilômetros quadrados, o equivalente a mais de quatro vezes a área da cidade de São Paulo. A maior parte dos pontos está no Brasil, na Guiana e na Venezuela.

Por ser um método automatizado, os desenvolvedores do projeto admitem a existência de falsos positivos, mas reforçam que o principal objetivo da Amazon Mining Watch é encorajar jornalistas, pesquisadores e ativistas a usar os dados como um trampolim para investigar mais profundamente os resultados.

Acesse aqui a plataforma.

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Notícias
14 de fevereiro de 2022

Especialistas e ambientalistas criticam criação de programa que estimula garimpo na Amazônia

Por decreto, Bolsonaro lança programa de apoio à “mineração artesanal” com foco no bioma amazônico e facilita procedimentos de outorga minerária

Notícias
14 de fevereiro de 2022

Garimpeiros invadem parque na Amazônia boliviana

Ativistas denunciam que governo promove mineração ilegal, enquanto agência responsável pelas unidades de conservação na região não atua

Notícias
24 de janeiro de 2022

Satélites apontam garimpo como responsável pela mudança da cor da água do rio Tapajós

Análise de imagens de satélite feita pelo MapBiomas aponta evidências de que a coloração diferente nas águas do rio paraense é resultado da explosão do garimpo na região

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta