Notícias

Organizações pedem que Judiciário aja em defesa do Pantanal 

Em carta em defesa do Pantanal Matogrossense, mais de 35 organizações e 230 pessoas pedem afastamento e responsabilização dos omissos e culpados pela tragédia

Daniele Bragança ·
20 de setembro de 2020 · 1 anos atrás
Queimada no Pantanal. Foto: PREVFOGO/Ibama.

O Instituto Brasileiro de Advocacia Pública (IBAP), a Associação dos Professores de Direito Ambiental do Brasil (APRODAB), a Comissão do Meio Ambiente da OAB SP e mais 34 organizações e 233 pessoas físicas assinam uma carta aberta pedindo o afastamento e a responsabilização – civil, penal, política e administrativamente – dos culpados, por omissão ou ação, pelas queimadas no pantanal, que já destruíram mais de 2,3 milhões de hectares do bioma. 

A carta será encaminhada ao ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator da Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) 60, impetrada por partidos da oposição – Partido dos Trabalhadores (PT), Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Partido Socialista Brasileiro (PSB) e Rede Sustentabilidade – que apontam omissão do governo federal por não adotar providências para o funcionamento do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (Fundo Clima), que teria sido indevidamente paralisado em 2019 e 2020, bem como diversas outras ações e omissões na área ambiental.

A partir desta segunda-feira (21), o Supremo Tribunal Federal irá discutir, em audiência pública, o quadro ambiental do país. Segundo Barroso, que presidirá a audiência, a proteção ambiental é um dever constitucional do governo federal, e não uma opção política. 

“Por omissão, os atuais ocupantes dos postos de chefia do Poder Executivo estão arrasando este patrimônio nacional. Contam com o beneplácito de parte do Congresso Nacional que, afável ao setor econômico de base agrária, só está interessada na expansão de território (inclusive com grilagem) para o plantio de soja e para pecuária extensiva. Aos olhos de todos, a boiada está passando, 2 exatamente da forma que o Sr. Ricardo Salles conclamou no imoral e antipatriótico pronunciamento levado a público há poucos meses, em reunião ministerial”, diz a carta.

“É preciso, urgentemente, afastar de seus cargos os responsáveis pela destruição do território nacional e responsabilizá-los civil, penal, política e administrativamente, evidentemente dentro dos cânones do devido processo legal, garantia constitucional que vem sendo tão covardemente ultrajada nos últimos tempos”, conclama os signatários. 

Leia a carta na íntegra.  

 

Leia Também 

Apesar do estado de emergência, números de multas do Ibama caíram no Pantanal

Governo federal reconhece situação de emergência no Mato Grosso do Sul

Mais de 80% da área do Parque Estadual Encontro das Águas já foi atingida pelo fogo

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
16 de setembro de 2020

Mais de 80% da área do Parque Estadual Encontro das Águas já foi atingida pelo fogo

Incêndios florestais continuam fortes no Mato Grosso e levam estado a declarar situação de emergência. No parque, 92 dos 108 mil hectares já foram atingidos

Notícias
15 de setembro de 2020

Governo federal reconhece situação de emergência no Mato Grosso do Sul

MDR destina R$ 3,8 milhões para auxiliar combate aos incêndios florestais no estado. Chamas já queimaram 1.1 milhões de hectares do Pantanal sul-mato-grossense

Notícias
17 de setembro de 2020

Apesar do estado de emergência, números de multas do Ibama caíram no Pantanal

Se comparada ao mesmo período do ano passado, a quantidade de infrações multadas pelo órgão caiu em quase metade em 2020

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 3

  1. Guilherme diz:

    APRODAB é uma que sempre dormiu e só acordou agora…


    1. Ricardo Camargo diz:

      Falar sem conhecimento de causa, no que diz respeito à suposta inexistência de atuação da APRODAB em outros momentos, é, na leitura mais benevolente, leviandade, supondo que se esteja de boa fé…


  2. Paulo diz: