Notícias

Vale acabará com todas as barragens parecidas com Brumadinho e Mariana

Presidente da mineradora confirmou nesta terça-feira (29) a desativação de 10 barragens que seguem o padrão a montante, usado nas barragens que se romperam

Daniele Bragança ·
30 de janeiro de 2019 · 3 anos atrás
O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, anuncia que acabará com barragens como Brumadinho e Mariana. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil.

A mineradora Vale anunciou que acabará com todas as barragens que seguem o mesmo padrão da Barragem de Brumadinho e de Mariana. A decisão foi anunciada após reunião do presidente da Vale, Fábio Schvartsman, com os ministros de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Tanto a Barragem de Brumadinho quanto de Mariana são do mesmo tipo, chamado de “a montante”, um tipo de barragem que permite a ampliação para cima do dique de maneira mais econômica, usando o próprio rejeito como fundação. É um dos modelos de construção de barragens mais usados na mineração, por causa do custo, mas também um dos mais instáveis.

A Vale possui 19 barragens deste tipo no país e já havia iniciado o processo de esvaziamento de 9 barragens após o acidente de Mariana. Pelo plano anunciado nesta terça-feira, a companhia investirá 5 bilhões para esvaziar os outros dez. O processo de descomissionamento deve demorar 3 anos. Para isso, a empresa pretende reduzir sua produção em 10%.

“A decisão da companhia é que não podemos mais conviver com esse tipo de barragem”, disse Schvartsman. “Vamos eliminar e acabar com todas as barragens a montante, com efeito imediato”, acrescentou.

Segundo Schvartsman, a única maneira de se fazer o esvaziamento é paralisando a produção. Os órgãos ambientais receberão em até 45 dias os projetos para licenciar o esvaziamento das barragens. As obras começarão assim que os órgãos derem as licenças.

A Vale foi multada em 250 milhões pelo Ibama e teve 11 bilhões bloqueados pela Justiça de Minas para garantia de reparação dos danos causados às vítimas do rompimento da barragem de rejeito. Até o momento, o rompimento da barragem de Brumadinho deixou 84 vítimas fatais. Ainda há 276 desaparecidos.

 

Leia Também 

“No caso do minério de ferro, existiria a possibilidade de abrir mão de construir barragens”, afirma Bruno Milanez

Engenheiros que atestaram segurança de Brumadinho são presos

Lama de Brumadinho deve chegar ao rio São Francisco em até três semanas

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
28 de janeiro de 2019

Lama de Brumadinho deve chegar ao rio São Francisco em até três semanas

Relatório do serviço geológico afirma que rejeitos devem chegar à usina hidrelétrica de Três Marias, no rio São Francisco, entre os dias 15 e 20 de fevereiro

Notícias
29 de janeiro de 2019

Engenheiros que atestaram segurança de Brumadinho são presos

Cinco mandados de prisão e de busca e apreensão foram cumpridos na manhã desta terça-feira contra engenheiros e funcionários que garantiram a segurança da Barragem que rompeu em Minas

Reportagens
29 de janeiro de 2019

“No caso do minério de ferro, existiria a possibilidade de abrir mão de construir barragens”, afirma Bruno Milanez

Pesquisador da Universidade Federal de Juiz de Fora critica avaliação no risco de barragens no estado de Minas Gerais e fala sobre a necessidade de estabelecer critérios para a construção delas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta