Reportagens

A diversidade secreta do guaru

Pesquisador descobre que um dos gêneros do peixe guaru possui 22 espécies, e não uma, como se imaginava. Resultado: o que antes era abundante, agora pode correr risco de extinção.

Redação ((o))eco ·
16 de janeiro de 2009 · 15 anos atrás
Um exemplar do pequenino Phalloceros caudimaculatus, ou guaru. Foto: José César Nolasco
Um exemplar do pequenino Phalloceros caudimaculatus, ou guaru. Foto: José César Nolasco
A maior herança do estudo de Franco Lucinda é que, a partir de agora, um novo trabalho de pesquisa precisará ser feito para identificar os riscos de cada espécie e os possíveis caminhos para sua conservação. Desta vez, os Phalloceros caudimaculatus tiveram sorte e foram os escolhidos. Mas, submersos em florestas, águas doces e salgadas pelo mundo, outros grupos surgem e desaparecerem sem nunca terem sido registrados. “Há muitos peixes sem estudos recentes e sobre os quais acreditamos em uma diversidade muito maior do que a que conhecemos hoje”, encerra Flávio Lima.

Leia também

Reportagens
15 de abril de 2024

Área de mangue bem conservado cresce 33% na APA Guapi-Mirim, na Baía de Guanabara

Proteção assegurada por unidades de conservação favoreceu regeneração natural; Atividades do Gaslub (antigo Comperj) ameaçam APA e Esec Guanabara

Reportagens
15 de abril de 2024

Destruição do Cerrado emperra mega corredor da onça-pintada

É inadiável ampliar unidades de conservação e melhor alocar a vegetação legalmente protegida para salvar espécies nativas

Salada Verde
15 de abril de 2024

Cachorros-vinagres são fotografados no maior parque federal do país

Ameaçada de extinção, espécie foi registrada pela primeira vez no Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, no Amapá, através de armadilhas fotográficas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 6

  1. Jesiel diz:

    Que eu sei ela pode armazenar esperma por até 6 desovas


    1. Werlemnascimento diz:

      Boa noite !! Amigo, um lebiste fêmea pode armazenar esperma durante 7 meses e escolher a melhor hora e local para ter seus filhotes.


  2. Manoel Santana diz:

    A guarú já põe os filhotes nadando, em vez de por ovos como os demais peixes.


  3. MarcioGaspar diz:

    Tenho um casal de Guppy cobra em meu aquário, conseguir num córrego próximo três Lebistes machos selvagens e duas fêmeas Guaru (peguei achando que eram fêmeas de Lebiste Selvagem, só depois eu descobri, kk), pretendo fazer alguns cruzamentos entre eles, principalmente entre as fêmeas Guaru com o Guppy cobra e ver os resultados..


  4. jean paul diz:

    Um fato muito curioso pra mim que aconteceu com um guaru……eu tenho alguns peixes oscar e que quando possivel vou até um riacho proximo aqui da minha casa pegar alguns lambaris para alimentar os oscars….da ultima vez que fui peguei uma femea de lambari e que era perfeitamente visivel que estava com filhotes…..coloque os peixinhos em um aquario menos para poder dando aos poucos ao oscars mais ja tinha decidido que deixaria a guaru (desculpe os termos usados mas sou totalmente leigo em termos tecnicos de peixes), ela costumava sumir por dias e depos aparecia eu deduzia que poderia estar numa toca embaixo do filtro….então os lambaris acabaram e entao ela voltou aparecer e seus filhotes tambem…… agora passaram mais ou menos 15 dias de quando os primeiros filhotes apareceram, e novos filhos apareceram novamente….o curioso nisso é que ela é a unica peixe digamos adulta do aquario….o curioso que achei é que entao ester peixinho com mais ou menos 15 dias ja tem uma vida sexual ativa????

    Caso alguel queira fotos posso estar encaminhando..


    1. Oswaldo diz:

      O lambari é a salvação contra a larva do mosquito da dengue e só soltar e ele sobrevive em qualquer ambiente e come as lavras