Salada Verde

Hidrelétricas no Mekong ameaçam peixes gigantes

Relatório da WWF evidencia altos impactos ambientais que construção de barragens no rio Mekong causarão no delta do rio e para espécies gigantes ameaçadas.

Redação ((o))eco ·
28 de julho de 2010 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
 
Bagre de Mekong (Pangasianodon gigas) uma das espécies gigantes ameaçadas pelo projeto de barragem no rio Mekong.
 

Um projeto de hidrelétrica no rio Mekong, na província de Sayabouly, norte de Laos está recebendo críticas antes mesmo de sua aprovação pela Comissão do rio Mekong. A represa de Sayabouly, diz um comunicado da WWF,  irá reduzir a quantidade de sedimentos que descem em direção ao delta do rio Mekong, aumentando a vulnerabilidade dessa área aos impactos das mudanças climáticas, como o aumento do nível do mar.

Os impactos dessa barragem estariam também direcionados a  espécies raras e ameaçadas presentes no rio Mekong, que inclue quatro das 10 maiores espécies de peixes gigantes de água doce, como o bagre e a arraia gigantes.
 
A WWF apoia o atraso na aprovação das represas no rio para garantir a compreensão total de todos os seus impactos, positivos e negativos, de sua instalação e operação. Os impactos das represa não e restritos às espécies gigantes, eles acentuariam também os impactos em uma das regiões mais produtivas de agricultura e piscicultura do mundo.

O relatório da WWF, “Rio dos gigantes: peixes gigantes de Mekong” sugere que o bagre de Mekong migra do lago Tonle Sap no Camboja para desovar no norte da Tailândia e Laos. Qualquer barragem construída no rio impediria essa rota de migração, pois os peixes gigantes não conseguiriam transpor os obstáculos da construção. Isso levaria a um colapso da população. (Laura Alves)

Barragens planejadas para o rio Mekong

Leia também

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Reportagens
2 de dezembro de 2021

Secas recorrentes afetam a capacidade de recuperação da Floresta Amazônica, alerta estudo

Nas últimas duas décadas, a Floresta Amazônica tem sido impactada por secas cada vez mais intensas e frequentes. As mais severas ocorreram em 2005, 2010 e 2015

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta