Salada Verde

Movimento protesta contra pesca de tubarões

Divers for Sharks ocupa praia de Copacabana com barbatanas negras e aponta omissão do governo brasileiro em relação a contrabando para mercados asiáticos.

Redação ((o))eco ·
21 de novembro de 2010 · 13 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

O movimento Divers for Sharks (Mergulhadores pelos Tubarões) – uma campanha que já reúne empresários, profissionais e amadores do mergulho em 128 países – realizou no última sábado (dia 20) um protesto na praia de Copacabana contra a caça de tubarões. Mil barbatanas negras de tubarões feitas de cartolina foram plantadas na praia. A quantidade simboliza apenas cinco minutos de pesca desses animais ao redor do globo, que chega a 100 milhões de animais por ano

Segundo os organizadores, o evento foi feito para protestar contra a omissão do governo brasileiro ante o contrabando e a venda legalizada de barbatanas de tubarão das águas brasileiras para os mercados asiáticos.

Em nota distribuída à imprensa, o movimento afirma ainda que o protesto mira ainda “a fraca posição” da delegação brasileira junto à Comissão do Atum Tropical (ICCAT), que se reúne esta semana na França.

“O Brasil tem a Presidência da ICCAT mas faz corpo mole quando o assunto é conservação, e nosso governo gasta bilhões de dinheiro público em subsidiar as frotas industriais pesqueiras que massacram tubarões, mas não move um dedo para preservar os milhares de empregos e a renda das comunidades costeiras que se beneficiam do mergulho e que têm nos tubarões um de seus maiores atrativos. Sem tubarões, o ambiente marinho sofre e a perda de empregos na indústria do mergulho é imediata”, disse o empresário do mergulho Paulo Guilherme Alves Cavalcanti, o “Pinguim”, um dos fundadores da Divers for Sharks.

Saiba mais
Vai proteger ou não vai?
Mergulhando com os tubarões
Tubarão elefante torna-se espécie ameaçada


Leia também

Notícias
19 de abril de 2024

Em reabertura de conselho indigenista, Lula assina homologação de duas terras indígenas

Foram oficializadas as TIs Aldeia Velha (BA) e Cacique Fontoura (MT); representantes indígenas criticam falta de outras 4 terras prontas para homologação, e Lula prega cautela

Notícias
19 de abril de 2024

Levantamento revela que anta não está extinta na Caatinga

Espécie não era avistada no bioma havia pelo menos 30 anos. Descoberta vai subsidiar mudanças na avaliação do status de conservação do animal

Salada Verde
19 de abril de 2024

Lagoa Misteriosa vira RPPN em Mato Grosso do Sul

ICMBio oficializou a criação da Reserva Particular do Patrimônio Natural Lagoa Misteriosa, destino turístico em Jardim, Mato Grosso do Sul

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.