Salada Verde

Ação do ICMBio na Rebio Tinguá combate prática irregular de off-road e apreende motos

Ação realizada pela equipe de fiscalização do ICMBio neste domingo (14) lavrou sete autos de infração que totalizam mais de R$7 mil em multa e apreendeu motos que praticavam o off road no interior da reserva

Duda Menegassi ·
16 de março de 2021 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Neste domingo (14), a Reserva Biológica do Tinguá, no estado do Rio de Janeiro, foi palco de uma operação realizada pela equipe de fiscalização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para coibir a prática de off-road (veículos motorizados em trilhas) dentro da reserva. A operação, batizada de Passagem, resultou em sete autos de infração que totalizam mais de R$7 mil em multa, e na apreensão de motos. O off-road é proibido dentro da reserva biológica (Rebio), considerada de proteção integral e uso restrito à educação ambiental e pesquisa. A prática, além de ilegal, causa impactos como a abertura de trilhas na mata e a compactação do solo.

A Rebio do Tinguá faz parte do Núcleo de Gestão Integrada (NGI) do ICMBio Teresópolis, que reúne outras quatro unidades de conservação federais no estado: o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, as Áreas de Proteção Ambiental (APA) Petrópolis e Guapimirim e a Estação Ecológica da Guanabara.

 

Leia também

Vídeo: Por que devemos lutar pela preservação da Rebio do Tinguá? por Leandro Travassos

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica.

Leia também

Vídeos
22 de julho de 2018

Vídeo: Por que devemos lutar pela preservação da Rebio do Tinguá? por Leandro Travassos

Protetora de uma riqueza biológica única, a Reserva Biológica do Tinguá também é fundamental para o equilíbrio hídrico da região metropolitana do Rio de Janeiro

Reportagens
27 de fevereiro de 2024

Condenado pelo assassinato de Chico Mendes assume presidência do PL em Medicilândia

Darci Alves Pereira tomou posse no final de janeiro. “Não me surpreende, mas não deixo de ficar triste”, diz Angela Mendes, filha do sindicalista

Colunas
27 de fevereiro de 2024

A falta de resposta para a “cupinização” do licenciamento ambiental paulista

Artigo do vice-presidente da ANAMMA desconsidera fragilidades na norma aprovada pelo Consema e não responde nossos questionamentos sobre os rumos do licenciamento ambiental paulista

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 2

  1. Paulo Almeida diz:

    Acredito que seja mesmo necessário coibir essas práticas nocivas à natureza. A caça e off-road são de fato danosas ao meio ambiente, mas poderiam permitir a visitação controlada com a concessão de licença mediante pagamento de uma taxa por pessoa para um determinado dia com todas as pessoas sob permissão, registradas em documento a ser validado com QR codes na entrada de determinadas reservas biológicas como por exemplo a de Tinguá. Excedentes humanos fora da autorização ficariam de fora ou se apanhados na reserva, seriam multados. Apenas uma sugestão que evidentemente poderia ser melhorada.


  2. Everton Miranda diz:

    Muito bom. Agora falta pegar, multar e prender as hordas de caçadores que assolam o parque.