Salada Verde

Bronquites, asma, insuficiência cardíaca: o impacto das queimadas na saúde humana

Cinzas comprometem a saúde de milhares de brasileiros. Segundo relatório, 2.195 internações hospitalares por doenças respiratórias ocorridas em 2019 são atribuíveis às queimadas 

Daniele Bragança ·
27 de agosto de 2020 · 2 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Queimadas não apenas destroem florestas e deixam para trás pilhas de animais carbonizados: as cinzas também impactam a saúde humana e contribuem para milhares de internações hospitalares. É o que conclui o relatório “O Ar é Insuportável: Os impactos das queimadas associadas ao desmatamento da Amazônia brasileira na saúde”, publicado na quarta-feira (26), assinado por pesquisadores do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), do Instituto de Estudos para Políticas de Saúde (Ieps) e do Human Rights Watch.

Segundo o relatório, 2.195 internações hospitalares por doenças respiratórias em 2019 são atribuíveis às queimadas. Quase 500 internações envolveram crianças com menos de um ano de idade, e mais de mil foram de pessoas com mais de 60 anos. Essas internações representam apenas uma fração do impacto total das queimadas na saúde, considerando que milhões de pessoas foram expostas em 2019 a níveis nocivos de poluição do ar decorrentes das queimadas associadas ao desmatamento da Amazônia.

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
19 de março de 2019

Novo alerta sobre impacto da poluição do ar na saúde é divulgado, mas Brasil não escuta

Pesquisa indica que poluição do ar em ambientes externos mata 8,8 milhões de pessoas no mundo, o dobro da estimativa antes divulgada

Salada Verde
25 de maio de 2022

CPI/PUC lança plataforma sobre os 10 anos do Código Florestal

Ferramenta concentra análises, pesquisas e dados sobre a implementação da Lei 12.651/2012 em todos os estados brasileiros

Notícias
25 de maio de 2022

Desmatamento na Mata Atlântica cresce 66% e chega a 21,6 mil hectares em 2021

Estados que estavam perto de atingir o desmatamento zero, como São Paulo e Sergipe, voltam a apresentar alta na destruição do bioma, revela Atlas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta