Salada Verde

Canadá fechará usinas termelétricas a carvão até 2030

O objetivo é reduzir as emissões de gases de efeito estufa. O país tem como meta a redução de 80% das emissões até 2050

Sabrina Rodrigues ·
22 de novembro de 2016 · 6 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Candiota, no Rio Grande do Sul, é a maior termelétrica a carvão do país. Foto: Flickr
Candiota, no Rio Grande do Sul, é a maior termelétrica a carvão do país. Foto: Flickr

Uma boa notícia veio do Canadá. Na segunda-feira (21), o governo divulgou que até 2030 fechará as suas usinas termelétricas a carvão. O compromisso tem o objetivo de reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Catherine McKenna, ministra do Meio Ambiente tem como meta a redução de 80% das emissões de gases do efeito estufa até 2050. O fechamento das termelétricas corresponderá a uma redução de mais de cinco milhões de toneladas de emissões de carbono que são produzidas pelo Canadá e será o mesmo que retirar 1,3 milhão de veículos de circulação. Futuramente são aguardadas medidas semelhantes em relação a usinas a gás natural, segundo a ministra.

Fonte original: Folha de S. Paulo

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
8 de fevereiro de 2023

Os sem floresta: a perda de habitat que ameaça os macacos brasileiros

Levantamento mapeia a perda de habitat para 190 espécies de mamíferos terrestres brasileiros e alerta para situação dos primatas e suas florestas cada vez menores

Notícias
8 de fevereiro de 2023

Entidades e partidos políticos reivindicam participação no acordo Mercosul-UE

Texto do documento, assinado na gestão Bolsonaro, é desconhecido da sociedade civil. Organizações alertam para impactos ambientais da proposta

Reportagens
7 de fevereiro de 2023

No Canadá, ecoa antiga demanda pela criação do Parque Nacional do Albardão

Em congresso internacional de áreas marinhas protegidas, ambientalistas buscam apoio para criação de unidade de conservação proposta há 15 anos

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta