Salada Verde

Delegado que lidera investigação contra Salles perde cargo de chefia na PF

Polícia Federal trocou a chefia da Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros do Distrito Federal. Delegado continua no comando das investigações contra Salles

Daniele Bragança ·
22 de junho de 2021
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

A Polícia Federal resolveu trocar a chefia da Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros do Distrito Federal e com isso o delegado Franco Perazzoni, que comandou no mês passado a operação de busca e apreensão no Ministério do Meio Ambiente, perdeu o cargo. As informações são do jornal O GLOBO.

Segundo o jornal, a mudança na chefia veio da Superintendência do Distrito Federal e não da direção-geral da PF, como ocorreu há dois meses com o superintendente da PF no Amazonas, Alexandre Saraiva, afastado do cargo após enviar notícia-crime contra Salles por ele supostamente interferir em uma operação policial.

No caso do delegado Perazzoni, embora ele não comande mais a Delegacia de Repressão à Corrupção, as investigações sobre a operação Akuanduba ainda são chefiadas por ele. Salles é investigado, junto com outras 9 autoridades – incluindo o presidente afastado do Ibama, Eduardo Bim –, por mudanças nas regras de exportação de madeira nativa, que teriam beneficiado madeireiras.

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
19 de maio de 2021

PF diz que Salles montou esquema criminoso para favorecer madeireiras

Operação deflagrada hoje a pedido do STF cumpre mandados de busca e apreensão contra o ministro do Meio Ambiente e afasta 9 autoridades, incluindo o presidente do Ibama, Eduardo Bim

Notícias
15 de abril de 2021

Cai superintendente do Amazonas que pediu investigação contra Salles

Diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, decidiu substituir Alexandre Saraiva, que encaminhou notícia-crime contra Salles por atuação em defesa das madeireiras alvo de operação

Análises
29 de novembro de 2021

Compatibilizar o incompatível é solução pra quê?

Querem mudar a Lei do SNUC através de um instrumento obtuso sem suporte científico, que ignora tudo que a legislação estabelece no que concerne à proteção da nossa biodiversidade

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta