Salada Verde

Ibama realiza consulta pública sobre elaboração de Plano Javali

O objetivo é conter os prejuízos que a expansão rápida desta espécie exótica causa ao meio ambiente e à agricultura do país.

Sabrina Rodrigues ·
10 de outubro de 2016 · 5 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Foto: ICMBio
Foto: ICMBio

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), através da Diretoria de uso Sustentável da Biodiversidade e Floresta (DBFlo), realiza entre os dias 07 a 21 de outubro, consulta pública sobre o Diagnóstico e a Estrutura do Plano Nacional de Prevenção, Controle e Monitoramento do Javali em estado asselvajado no Brasil. O objetivo é traçar métodos para conter os prejuízos que essa espécie invasora está provocando ao meio ambiente e à agricultura no país.

Espécie nativa da Europa, Ásia e África, o javali (Sus scrofa) começou a se espalhar pelo Brasil na década de 1960. O animal é classificado como uma das cem piores espécies exóticas invasoras do mundo pela União Internacional de Conservação da Natureza (IUCN).

As contribuições da consulta pública serão analisadas e submetidas à oficina prevista para novembro de 2016.

Fonte original: Ibama

 

 

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta