Salada Verde

ICMBio exonera chefe da Flona de Brasília após denúncia de extração ilegal de madeira

A exoneração de Edilson Mendes, major da reserva do Corpo de Bombeiros Militar que chefiava a Flona, ocorre depois de ICMBio afirmar que iria apurar fatos denunciados pela reportagem

Duda Menegassi ·
30 de junho de 2021
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Três dias após a exibição da reportagem veiculada no Fantástico, na Rede Globo, que flagrou a extração irregular de madeira dentro da Floresta Nacional de Brasília, está exonerado o então chefe da unidade de conservação, Edilson Mendes da Silva, major da reserva do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal. Edilson estava no cargo desde o final de maio de 2020. A exoneração acontece dois dias depois de circular internamente no ICMBio, órgão gestor da Floresta Nacional, uma nota que informa que foi instaurado processo para apurar os fatos apontados pela reportagem e “se constatadas irregularidades, as medidas cabíveis serão tomadas”. A denúncia está protocolada no Ministério Público Federal e no Ministério Público do Distrito Federal.

A Floresta Nacional (Flona) é uma categoria de unidade de conservação de uso sustentável voltada para o manejo florestal, por isso permite espécies exóticas exploradas comercialmente, como eucaliptos e pinus, que se estendem em vastas áreas dos 9.300 hectares da Flona de Brasília. Apesar da extração, em si, ser permitida, ela só pode ocorrer mediante autorização do órgão gestor, neste caso, do ICMBio, e do cumprimento de uma série de ritos legais. A apuração realizada pelo Fantástico não encontrou nenhuma evidência de tal autorização. O ICMBio afirmou que há apenas uma autorização para “a coleta de árvores e troncos caídos no interior dos talhões e nas margens da rodovia dentro do perímetro da Flona”, situação que não parece ser a flagrada pelos repórteres do Fantástico.

De acordo com a reportagem, entre agosto de 2020 e junho de 2021, foi registrado um desmatamento de 33 hectares dentro da Flora. Uma estimativa feita pela Associação Brasileira de Engenheiros Florestais do DF aponta que podem ter sido retirados 578 caminhões carregados, com um valor de mercado calculado em cerca de R$5,3 milhões.

*Em destaque: Imagem feita pela reportagem do Fantástico mostra o caminhão com as toras de madeira sendo retiradas da Flona de Brasília. TV Globo/Reprodução

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Notícias
20 de outubro de 2021

Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

Somente em setembro foram destruídos 1.224 km² de floresta, área equivalente a mais de 4 mil campos de futebol por dia. Números sãos os maiores em 10 anos

Salada Verde
20 de outubro de 2021

Em comemoração de seus 10 anos, Onçafari lança concurso de fotografia

Fotógrafos profissionais e amadores podem se inscrever até o dia 14 de novembro. Vencedores terão a oportunidade de fotografar a fauna e flora existentes na sede da Onçafari, no Pantanal

Notícias
20 de outubro de 2021

INPE não tem recursos garantidos para pagamento de água e luz até final do ano

Destinação de R$ 5 milhões pela AEB deu um respiro ao Instituto, mas órgão ainda aguarda verba de outras fontes para honrar despesas de funcionamento até dezembro

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta