Salada Verde

Mineração ameaça um peixe recém identificado na Bacia do Rio Tapajós

Espécie vive apenas em igarapés com águas limpas e puras que podem ser poluídas pela extração de bauxita, em região do Pará

Aldem Bourscheit ·
18 de maio de 2023
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Com traços que lembram aviões capazes de velocidades supersônicas, uma nova espécie de cascudo-graveto foi descoberta pela Ciência em igarapés no município de Juruti, na Bacia do Rio Tapajós, no oeste do Pará. O estudo comprovando o achado foi publicado na revista Neotropical Ichthyology.

Todavia, cada vez mais comum, o novo membro da riqueza natural do país é ameaçado. Conforme os cientistas que a revelaram, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Museu Paraense Emílio Goeldi, a região onde vive a espécie é deteriorada “por um grande projeto de extração de bauxita”.

A Aluminum Company of America (Alcoa) extrai o mineral na localidade desde 2009. A bauxita é usada sobretudo na produção de alumínio, mas serve igualmente para outros itens, como abrasivos, refratários, químicos e certos tipos de cimento.

“Apesar da Amazônia ser a região mais rica em diversidade de peixes do planeta, muitas dessas espécies ainda não são conhecidas pela ciência e podem ser extintas antes mesmo de serem descobertas”, explicou à Agência Bori a pesquisadora e co-autora do artigo Manuela Dopazo, da UFRJ.

O igarapé Rio Branco é uma das moradas do Farlowella wuyjugu. Foto: Divulgação/Neotropical Ichthyology
  • Aldem Bourscheit

    Jornalista cobrindo histórias sobre Conservação da Natureza, Crimes contra a Vida Selvagem, Ciência, Comunidades Indígenas e ...

Leia também

Reportagens
12 de maio de 2023

Mudanças climáticas ameaçam os peixes da bacia do Alto Paraguai

Estudo estima que processo pode reduzir o habitat de cerca de 70% das espécies que atualmente ocorrem na bacia que hospeda o Pantanal – e consequentemente provocar extinções locais

Reportagens
6 de setembro de 2022

Período de estiagem pode estar relacionado a cardume quilométrico visto no Pantanal

Cardume de 1o km teve que ser “escoltado” pela PM Ambiental. Fenômeno é natural, mas ocorrência antecipada à piracema também pode estar relacionada a não ocorrência de cheias significativas

Análises
12 de agosto de 2021

A ameaça silenciosa das espécies exóticas na Amazônia

O estudo é o primeiro a compilar informações sobre espécies exóticas em grande escala na região amazônica

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 1

  1. Carlos diz:

    Isso é o cari cipó, muito comum na baia do Marajó