Salada Verde

TCU investigará uso de produto poluente em reservas ambientais

A investigação sobre a compra do produto poluente pelo Ministério do Meio Ambiente foi protocolada por dois deputados do PV no Tribunal de Contas da União

Marcos Furtado ·
17 de dezembro de 2020 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

O Tribunal de Contas da União acatou, na última quarta (15), um pedido feito por deputados do Partido Verde para investigar o uso de um retardante de chamas no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães e na Estação da Serra das Araras, em Mato Grosso. Mesmo sem ter regulação ambiental para ser usado no Brasil e com parecer técnico contrário do Ibama feito em 2018, o produto foi adquirido pelo Ministério do Meio Ambiente.

Os deputados Célio Studart (PV-CE) e Israel Batista (PV-DF) protocolaram no mês de outubro uma representação sobre possíveis irregularidades praticadas pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, envolvendo a compra, sem licitação e ignorando parecer técnico, de 20 mil litros do retardante de chamas Fire Limit FL-02, compra que custou 684 mil aos cofres públicos.

Os parlamentares solicitaram que o TCU investigue não apenas a compra sem licitação, mas a relação entre o uso do componente e possíveis contaminações na água e no solo. Segundo recomendação da Coordenação de Avaliação Ambiental de Substâncias e Produtos Perigosos do Ibama, o retardante leva pelo menos 28 dias para que cerca de 80% a 90% de seu material se degrade, por isso, era necessário suspender o “consumo de água, pesca, caça e consumo de frutas e vegetais na região exposta ao produto pelo prazo de 40 dias”. (Marcos Furtado)

 

Leia Também 

Precaução, Retardantes e Pirotecnia na Chapada dos Veadeiros

 

  • Marcos Furtado

    Escreveu para ((o))eco, Estadão, Folha de SP, Colabora. Ganhou o Prêmio Santander Jovem Jornalista e teve o 3º lugar em concurso do ICFJ

Leia também

Colunas
15 de outubro de 2020

Precaução, Retardantes e Pirotecnia na Chapada dos Veadeiros

O uso de um produto de efeitos ainda pouco conhecidos sobre o meio ambiente fere a precaução necessária à gestão das unidades de conservação e à proteção do meio ambiente

Notícias
15 de julho de 2024

Reforma tributária: Brasil perde chance de colaborar com meio ambiente, diz organização

Na primeira grande regulamentação da Reforma Tributária, Congresso deixa de sobretaxar produtos nocivos ao meio ambiente

Reportagens
15 de julho de 2024

Na Amazônia, o fruto que alimenta há milhares de anos encara a ameaça das mudanças climáticas

O açaí está na base do prato para muitas populações amazônicas, mas com colheitas reduzidas por causa das mudanças climáticas, comunidades encaram uma perda que é alimentar, cultural e econômica

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.