Salada Verde

União Europeia propõe proibição de alguns artigos de plástico

Com o objetivo de reduzir a poluição marinha, Parlamento Europeu deverá adotar medidas para diminuir o consumo de canudos, cotonetes e talheres descartáveis

Sabrina Rodrigues ·
29 de maio de 2018 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Trinta e seis bilhões de canudos são consumidos por ano pela União Europeia. Foto: Horia Varlan/Flickr.

 

A Comissão Europeia propôs, na segunda-feira (28), um conjunto de medidas para limpar as praias da Europa e livrar seus mares e cursos d’ água dos plásticos descartáveis, e pediu aos países que compõem à União Europeia (UE) que exerça um papel de liderança na redução do lixo marinho em todo o mundo.

As medidas, que vêm em forma de projetos de lei, deverão ser aprovadas pelos 28 estados-membros da União Europeia e reduzirão o consumo e produção de itens de uso único como canudos, cotonetes e talheres descartáveis. Além de proibir vários produtos plásticos, a UE quer que produtores de recipientes para viagem, garrafas de plástico e copos sejam forçados a contribuir para as coletas e tratamento de resíduos de seus produtos. A UE estuda ainda a possibilidade de aplicar um imposto sobre os plásticos.

A busca por oceanos livres de componentes plásticos fomentou um desafio entre a UE e o Reino Unido. O vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, desafiou o secretário de Meio Ambiente do Reino Unido, Michael Gove, um fervoroso defensor do Brexit, a tentar superar a UE no combate aos plásticos. O Reino Unido está um passo à frente do jogo, proibindo plásticos de cosméticos e produtos para cuidados pessoais, algo que Timmermans admitiu que a UE deveria adotar com urgência.

Segundo o relatório divulgado no ano passado pela Fundação Seas at Risk, uma organização de grupos ambientalistas da Europa que promove a proteção marinha, 46 bilhões de garrafas, 36 bilhões de canudos, 16 bilhões de xícaras de café e 2 bilhões de embalagens plásticas são consumidos todos os anos na União Europeia.

 

Leia Também

Vídeo: Como resolver o problema do lixo no mar? por Alexander Turra

Plástico, como seria bom voltar no tempo e desinventá-lo

Ártico é ralo global de lixo plástico, dizem cientistas alemães

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
25 de abril de 2018

Ártico é ralo global de lixo plástico, dizem cientistas alemães

Estudo detecta concentração de microplásticos no gelo marinho três vezes maior do que se imaginava; degelo e aumento de atividades humanas na região deve agravar o quadro

Colunas
12 de janeiro de 2017

Plástico, como seria bom voltar no tempo e desinventá-lo

Descoberta de mil e uma utilidades, tornou-se também uma praga ambiental, pois é um material que não se deteriora e costuma acabar em rios e mares

Vídeos
6 de maio de 2018

Vídeo: Como resolver o problema do lixo no mar? por Alexander Turra

O biólogo e professor titular do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo aponta caminhos para resolver a poluição marinha por resíduos sólidos

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta