Salada Verde

Utilização de regime de urgência em matéria ambiental deturpa o processo legislativo, diz PV

Partido entrou com uma ação no STF para que o processo de tramitação urgente no Congresso seja revisto e alega que abuso do mecanismo é inconstitucional

Bruna Martins ·
7 de fevereiro de 2022 · 1 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

O Partido Verde entrou com uma Ação de Direta de Inconstitucionalidade no Supremo onde questiona a utilização do regime de urgência na tramitação de projetos de lei sensíveis, como da área ambiental. Segundo o partido, a utilização irregular do regime de urgência deturpa o processo legislativo.

O regime de urgência é utilizado para apressar a tramitação e a votação das matérias legislativas em casos de, por exemplo, calamidade pública. Mas o Congresso transformou o mecanismo em mero encurtador do processo legislativo, bastando apresentação de requerimento, que será lido e aprovado em plenário. Uma vez aprovado, a matéria pode ir à votação no plenário já na sessão seguinte. 

Pedido 

O PV pede a suspensão de projetos de lei que tenha tido a adoção de regimes de urgência sem justificativa e cita três PLs de matéria ambiental que deveriam ser derrubadas, a PL 2.633/2020, conhecida como “PL da grilagem”; a PL 984/2019, que abre a estrada do Colono e recorta o Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná; e a PL 3.729/2004, que institui a lei geral do Licenciamento Ambiental. 

“A prática de permitir o emprego do rito de urgência a quaisquer proposições, independentemente de justificativa a embasar o a conversão do rito ordinário em sumário, viola, a um só tempo, tanto o art. 58 da Constituição Federal quanto diversos outros preceitos implícitos na ordem constitucional, todos atinentes ao devido processo legislativo”, defende o colegiado.

O objetivo da ação é que o STF determine que a conversão de regime ordinário para urgente passe, necessariamente, por apresentação de justificativa concreta para a conversão.

Leia a ADI na íntegra

  • Bruna Martins

    Jornalista em formação pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Leia também

Salada Verde
2 de março de 2021

PV cobra explicações de Ministério sobre a morte de 600 animais silvestres

Os deputados federais Célio Studart (PV-CE) e Israel Batista (PV-DF) protocolaram requerimento solicitando explicações do ministro Ricardo Salles. Cetas do Rio chegou a ficar 47 dias sem tratadores

Salada Verde
30 de junho de 2019

PV pede na Justiça suspensão dos 239 agrotóxicos liberados em 2019

Segundo o partido, a liberação de novos produtos desrespeitam preceitos constitucionais de proteção à saúde, alimentação e meio ambiente

Notícias
24 de janeiro de 2022

Lewandowski suspende decreto que tirou proteção das cavernas de máxima importância

Decisão do ministro do STF acata parcialmente pedido de medida cautelar protocolado pela Rede e pelo Partido Verde, que apontam inconstitucionalidade do decreto presidencial que removeu proteção das cavernas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Paulo diz:

    É isto mesmo. Abuso desta gentalha politiqueira.

    Bagaçada, inimigos da Pátria.