Análises

ADI – 3.378-6 DF – Compensação Ambiental

Redação ((o))eco ·
17 de julho de 2008 · 14 anos atrás

De Ana Lucia Camphora

Caro Dr. Paulo Antunes,

Sob uma leitura institucional não estritamente jurídica, observa-se que o mecanismo compensatório envolve significativa margem de incerteza, em contraposição à demanda legítima por regras claras. Tal procedimento regulatório tem como característica peculiar a necessária flexibilidade para o ajustamento às variáveis ambientais, tecnológicas, econômicas e institucionais que convergem para a efetividade dos seus resultados.

Indagações sobre a aplicabilidade das regras e a efetividade da meta compensatória não são redutíveis ao Art. 36 do SNUC, mas marcam o processo de implementação dos denominados offsets de biodiversidade, implantados em países da Europa e na Austrália, por exemplo.

A vinculação ao EIA, parece ser indicativa de que o instrumento vem atender ao propósito de reparação ex ante, que se estabelece a partir de procedimento hierárquico que deveria integrar o planejamento ambiental do empreendimento: evitar, mitigar e então compensar o que as medidas mitigadoras não são capazes de solucionar.

Portanto, a problemática deste instrumento parece ultrapassar a dimensão do enunciado da norma, devendo ser colocada à luz das macro-instituições que balizam sua implementação. No caso, o licenciamento ambiental ppdito.

Tento transferir minhas reflexões, estimulada pela sua valiosa contribuição ao entendimento do posicionamento brilhante do STF, partindo das reflexões que desenvolvo em minha tese de doutorado, sob orientação do Prof. Peter May, no CPDA/UFRRJ.

Grata por suas contribuições.

Leia também

Notícias
14 de janeiro de 2022

Thiago de Mello, conhecido como o “poeta da floresta”, morre aos 95 anos

Poeta e jornalista amazonense cantou em prosa e verso sua luta pela preservação da maior floresta tropical do mundo

Reportagens
14 de janeiro de 2022

Venenos usados na soja seguem prejudicando a produção de frutas no Rio Grande do Sul

Agrotóxicos contra pragas resistentes ao glifosato contaminam e destroem plantios de uvas e outras economias no estado. Questão aguarda decisão judicial há mais de 1 ano

Análises
14 de janeiro de 2022

Monitoramento do comércio de combustível de aviação ajuda no combate ao crime ambiental

Desregulamentação e desestatização não pode significar abandono total do controle da distribuição e revenda, sob risco de aumentar o descaminho do combustível e sua utilização em atividades criminosas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Diego diz:

    Onde assisto ao filme? O link já era…