Análises

Literatura Sul-africana

Consta no meio literário que realidades conturbadas geram a inspiração necessária à produção de grandes livros. Se é verdade eu não sei, mas com certeza a máxima se aplica à África do Sul.

Pedro da Cunha e Menezes ·
21 de maio de 2010 · 11 anos atrás

Consta no meio literário que realidades conturbadas geram a inspiração necessária à produção de grandes livros. Se é verdade eu não sei, mas com certeza a máxima se aplica à África do Sul. Desde que a imprensa foi inventada, o país deu ao mundo uma parcela de bons escritores muito maior do que o tamanho de sua população deixaria crer.

Entre os sul-africanos que escrevem com verve e genialidade há muitos relativamente desconhecidos no Brasil como Alan Patton, Wessel Ebersohn, Lewis Nkosi, Breyten Breytenbach, André Brink e Stuart Cloete, apenas para mencionar alguns. Também há escritores de best sellers como Wilbur Smith e de romaces históricos como Errol Lincoln Uys, este último autor de uma excelente saga sobre a história de Pindorama, intitulada Brasil e publicada em português pela editora paulista Best Seller em 1986. Até mesmo Fernando Pessoa, que estudou em Durban durante a infância, costumava dizer que sua poesia (e escreveu muito em inglês) tinha uma veia sul-africana.

Há também os gigantes, como J. M. Coetzee e Nadine Gordimer, ambos laureados com o Prêmio Booker, maior comenda mundial de literatura em língua inglesa e também detentores do Prêmio Nobel de Literatura. Curiosamente, os dois foram premiados por livros que tangenciam a questão ambiental. Nadine Gordimer é autora de The Conservacionist, um livro poderoso que mescla apartheid e proteção à natureza. Já Coetzee foi galardoado por Life and Times of Michael K, ficção sobre um funcionário da Fundação Parques e Jardins da Cidade do Cabo.

Para quem gosta de de se divertir em meio ao ambiente, contudo, a literatura sul-africana vai muito além da ficção. Há nas livrarias do país estantes repletas de guias de trilhas, guias de surfe, guias para observadores de pássaros e para observadores de plantas, guias sobre os parques nacionais e livros biográficos de guardas-parques e ex-diretores de unidades de conservação, além de mais de uma dezena de revistas especializadas em natureza, que versam sobre os mais variados temas como baleias, mergulho, mountain bike, 4 x 4, safaris, flores e ornitologia. O próprio South African National Service, o ICMBio daqui, publica mensalmente a excelente revista WILD.

Com tanta literatura na mão, não há desculpas para ficar em casa. O visitante de primeira viagem, em uma breve visita às livrarias do país, descobrirá onde há trilhas de pernoite como fazer para reservá-las e qual o perfil da caminhada. Também saberá onde e quando observar baleias, mergulhar com tubarões brancos ou assistir ao espetáculo das flores da Namaqualândia desabrochando. Assim planejar fica muito fácil.

Enfim, se a Copa do Mundo fosse em literatura para turismo de natureza, a África do Sul era pule de 10.

A seguir vai um lista sumária de alguns livros de natureza que podem ser encontrados em uma visitinha rápida à uma livraria na Long Street, em Cape Town:

Bristow, David. Best Walks of the Drakensberg. 3ª ed. Cape Town: Struik, 2003.

Cape Península National Park. The Construction and Maintenance of Footpaths in the Cape Península. Cidade do Cabo, 1998.
________________________. Integrated Environmental Management System, An Initial Environmental Review. Common Ground Consulting; Cidade do Cabo, 1999.

Bryden, Bruce. A Game Ranger Remembers. 4ª ed. Cape Town: Johnanthan Ball Publishers, 2008.
Department of Environmental Affairs and Tourism. People, Parks and Transformation in South Africa: A Century of Conservation, a Decade of Democracy. Pretoria: Department of Environmental Affairs and Tourism, 2003.
Du Toit. Richard. Essential Wildlife Photography. Cidade do Cabo: Struik, 2002.
Engelbrecht, Henriëtte (ed). Klagadi Transfrontier Park. 3ª ed. Pretoria: South African National Parks, 2004.
Hill, Sandra. Networking People and Nature in The City, Inspiration, Issues and Challenges. Cidade do Cabo: Cape Flats Nature, 2005.
Hockings, Marc; Solton, Sue; Leverington, Fiona; Dudley, Nigel; Courrau, José e Valentine, Peter. Evaluating Effectiveness, A Framework for Assessing Management Effectiveness of Proteceted Areas. 2ª ed. Gland: UICN, 2006.
Holing, Ray. South African National Parks: South. Pretoria: South African National Parks, s/d.
__________. South African National Parks: North. Pretoria: South African National Parks, s/d.
Ildos, Angela S. e Bardelli, Giorgio. The Great National Parks. Vercelli (itália): Whitestar Publishers, 2001.
Inglis, Robert (ed). MDTP News. Volume 1,
2. Howick: Maloti Drakensberg Transfrontier Project, 2005.
Levy, Jaynee. Complete Guide to Walks & Trails in Southern Africa. 3ª ed. Cidade do Cabo: Struik, 1993
Lourens, Tony. Table Mountain Classics. A Guide to the Classic Walks, Scrambles and Easy Rock Climbs on Table Mountain. Cidade do Cabo: Blue Mountain Adventures, 1998.
Lundy, Mike. Best Walks in the Cape Peninsula. 7ª ed Cidade do Cabo: Struik, 2006.
Marais, Jacques e Mills, Susanna. Mountain Biking Trails of South Africa. Cape Town: Struik House, 2005.
McGowan, Kim. Explore Cape Nature Reserves. 2ª ed. Cidade do Cabo: Cape Nature Conservation, s/d.
McIntosh, Christopher. Top 12 Hiking Trails of the Western Cape. Cape Town: New Holland, 2009.
Pierce, S. M.; Cowling, R.M.; Sandwith, T. e Mackinom, K. Mainstreaming Biodiversitry in Development: Case Studies from South Africa. Washington: The World Bank Environment Department, 2002.
Tredger, Nick. From Rhodesia to Mugabe´s Zimbabwe, Chronicles of a Game Ranger. Alberton (África do Sul): Galago 2009.
Yeld, John e Barker, Martine. Mountains in the Sea: Table Mountain to Cape Point: A Interpretive Guide to the Table Mountain National Park. Constantia: South African National Parks, 2004.

Para quem gosta de boa leitura também deixo aqui uma pequena lista com sugestões de alguns romances escritos por autores sul-africanos (inclusive alguns publicados no Brasil):

Breytenbach, Breyten. Confissões Verídicas de um Terrorista Albino. Rio de Janeiro: Rocco, 1985.
Brink, André. Uma Estação Branca e Seca. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1986.
_________.The Rights of Desire. 2ª ed. Londres: Vintage, 2001.
Cloete, Stuart. Rags of Glory. 6ª ed. Londres: Collins, 1974.
___________. The Hill of the Doves. 3ª ed. Londres; Collins, 1973.
Ebersohn, Wessel. Divide the Night. Feltham (Inglaterra): Hamlyn Paperbacks, 1983.
Nkosi, Lewis. No Calor do Corpo. Rio de Janeiro: Globo, 1987.
Paton, Alan. Cry, the Beloved Country. 33ª ed. Harmondsworth (Inglaterra): Penguin, 1984.
__________. Ah, But Your Land is Beautiful. 5ª ed. Londres: Penguin, 1981.
Gordimer, Nadine. A Filha de Burger. Rio de Janeiro: Rocco,1985.
______________. De Volta à Vida. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2007.

E para uma leitura mais no estilo Best Seller:

Smith, Wilbur. The Dark of The Sun. Londres: Pan Books, 1968
___________. Shout at The Devil. Londres: Pan Books, 1970.
___________. Gold Mine. Londres: Pan Books, 1972.
___________. The Diamond Hunters. Londres: Pan Books, 1973.
___________. Eagle in The Sky. Londres: Pan Books, 1975.
___________. The Eye of The Tiger. Londres: Pan Books, 1976.
___________. A Sparrow Falls. Londres: Pan Books, 1978.
___________. Men of Men. Londres: Pan Books, 1982.
___________. The Angels Weep. Londres: Pan Books, 1983.
___________.The Leopard Hunts in Darkness. Nova Iorque: Ballantine Books, 1986.

Leia também

Salada Verde
15 de outubro de 2021

GLO ambiental não será renovada, anuncia Mourão

A operação acabou nesta sexta-feira (15). Atuação de militares não resultou em diminuição do desmatamento na Amazônia, mesmo com efetivo e orçamento maiores que dos órgãos ambientais

Notícias
15 de outubro de 2021

Justiça do México suspendeu revisão da meta climática, apresentada em 2020

Assim como o Brasil, o México revidou a meta para abaixo do estabelecido no Acordo de Paris. Greenpeace questionou na Justiça a nova NDC e ganhou

Reportagens
15 de outubro de 2021

Com acordo político, 1ª parte da Conferência da ONU sobre Biodiversidade chega ao fim na China

Mais de 100 países assinaram Declaração de Kunming, se comprometendo politicamente a preservar a biodiversidade do planeta

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta