Análises

A Península de Robberg

Enquanto Uruguai e Alemanha faziam a partida pelo terceiro lugar, não muito longe dali, em Plettenberg Bay, a Reserva Natural de Robberg estava vazia e brincava de ser paraíso.

Pedro da Cunha e Menezes ·
13 de julho de 2010 · 14 anos atrás

Enquanto Uruguai e Alemanha faziam uma partida sem sentido por um terceiro lugar que não vale nada. Não muito longe dali, em Plettenberg Bay um antigo porto baleeiro do litoreal sul-africano, a Reserva Natural (equivalente aos Parques Estaduais brasileiros) de Robberg estava vazia e brincava de ser paraíso.

A Reserva cobre uma península rochosa e escarpada de meros 174 hectares. Ela protege, entretanto, muito mais que a terra em que está inserida, pois inclui uma reserva marinha que estende por 1,8 milha náutica ao longo de todo o perímetro de Robberg. É aí que está a riqueza de sua fauna. Milhares de leões marinhos se acasalam em seus rochedos, tubarões brancos patrulham as águas na espreita de um filhote desprevenido, gaivotas abundam. Ademais, desde 1980, quando a pesca à baleia foi banida das águas sul-africanas, nos meses de julho a novembro é possível ver os cetáceos singrando as águas de Robberg. Quando percorri a trilha da Reserva, avistei três deles.

Tudo isso pode ser apreciado em uma caminhada de pouco menos de 4 horas por uma trilha espetacular de 11,3 km que circunda Robberg. Mas cuidado. Em dias de mar bravio ondas gigantes já pegaram desprevenido mais de um aventureiro causando várias fatalidades ao longo dos anos. A alguns invernos atrás um vagalhão destruiu o abrigo de excursionistas do Parque. Felizmente estava vazio. Agora contruíram outro em um ponto mais alto (e mais bonito). Quanto mais conheço a África do Sul, mais gosto dela!

LEIA TODO O ESPECIAL PALMILHANDO NO PAÍS DA COPA

Leia também

Salada Verde
29 de maio de 2024

Expansão da soja no leste amazônico provocou perda de R$10 bi em serviços ambientais

Desmate e aumento das áreas agrícolas têm diminuído a capacidade da floresta de oferecer benefícios à população, mostra estudo. Cifra refere-se aos últimos 36 anos

Salada Verde
29 de maio de 2024

Mais de 150 macacos morrem no México em meio ao calor extremo

Pelo menos 157 bugios já morreram desidratados apenas no mês de maio e causa provável são as altas temperaturas no país, que chegaram à sensação térmica de 52º C

Salada Verde
29 de maio de 2024

PAC injetará R$ 700 mi nos estados pantaneiros

Os investimentos podem prejudicar as cheias e as vazantes e a conservação de animais e plantas no Pantanal brasileiro

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.