Colunas

Skaha Bluffs tem o acesso garantido a escaladores

Escaladores de todo o mundo se uniram a ONGs para transformar os paredões de Skaha Buffs, no Canadá, em uma área de livre acesso. A vida selvagem também saiu ganhando.

8 de abril de 2008 · 14 anos atrás
  • Helena Artmann

    Montanhista e balonista há mais de 16 anos, tendo feito mais de 15 expedições para alta montanha. É formada em Comunicação So...

Cinco milhões, duzentos e cinquenta mil dólares canadenses é o que foi pago por uma terra em Penticton, na província da Colúmbia Britânica (British Columbia, BC) para garantir o acesso de escaladores às paredes de Skaha Bluffs. Mas quem pagaria esta fortuna? Um pool entre o Ministério do Meio Ambiente da Colúmbia Britânica, o Nature Conservancy of Canada (NCC), o Land Conservancy (TLC), o Habitat Conservation Trust Fund, The BC Trust for Public Lands, Nature Trust of BC, a Mountain Equipment Co-op (cooperativa de equipamentos para atividades ao ar livre) e seus membros e escaladores, ambientalistas e entusiastas da vida ao ar livre do Canadá, EUA, Inglaterra, Nova Zelândia e Austrália garantiram o acesso a esta que é uma das mais importantes áreas de escalada do país.

Apesar de toda a polêmica e a necessidade de se garantir o acesso ter sido gerada por escaladores, Skaha Bluffs é um importante habitat das ovelhas Big Horn da Califórnia, justificando transformá-lo em um parque provincial, além de inúmeros outros animais, inclusive alguns ameaçados de extinção.

Em novembro de 2006, expirou um acordo entre o dono da fazenda Braesyde, Hugh Dunlop, e a comunidade de escaladores locais, que permitia estacionar em suas terras mediante o pagamento de uma taxa, taxa esta que não era apenas de estacionamento, mas de acesso. Dunlop aceitou vender sua propriedade nesta época e, na temporada de escalada de 2007, novo acordo foi fechado, já que a venda da fazenda não deu certo. Nesta mesma época, a comunidade escaladora começou a se mobilizar para conseguir verbas para comprar a parte sul da fazenda, que garantiria o acesso aos paredões de rocha.

O problema de acesso data de 1992, com o aumento de escaladores na região. Para quem está se perguntando por que as pessoas não acessavam o local por outro caminho, vale dizer que quase todos os caminhos para as paredes passam por propriedades privadas que, mais cedo ou mais tarde, reclamavam e vedavam o acesso aos escaladores.

“A compra desta propriedade reconhece a importância de permitir o acesso recreacional e, ao mesmo tempo, proteger uma área vital para conservar a vida selvagem”, disse Bill Turner, diretor executivo da TLC, acrescentando que “esta campanha não seria bem sucedida sem o apoio da comunidade de escaladores, grupos conservacionistas e indivíduos dedicados à vida selvagem da Colúmbia Britânica”.

As terras recém-compradas estão dentro de um projeto chamado Parque Provincial de Skaha Bluffs, recomendado pelo Plano Gerencial de Okanagan Shuswap Land and Resource, e sua vegetação é o habitat de pelo menos 15 espécies ameaçadas, entre elas a ovelha Big Horn da Califórnia, vários tipos de cobras incluindo a cascavel, morcegos etc. O Plano Gerencial foi produzido entre 1995 e 2000 por uma mesa redonda de 50 representantes de todos os usuários das terras desta área. O plano foi decretado pelo Governo Provincial em 2001 e reconhece algumas áreas como críticas, recomendando ser transformada em parque provincial. Vale dizer que o mandato dos parques da Colúmbia Britânica considera as necessidades da vida selvagem acima da recreação/diversão.

A área de escalada de Skaha Bluffs possui uma incrível coleção de mais de 800 vias de gnaisse espalhadas por 50 paredes, e com comprimentos que variam de 10 a 55 metros. Por estar localizada na província que possui o clima mais ameno do Canadá e, por isso, ter uma temporada mais longa, Skaha Bluffs costuma ver 18.000 escaladores por ano, gente que vem do mundo inteiro mas principalmente do sul da Colúmbia Britânica e de Alberta.

“Todo mundo está animadíssimo com a compra desta propriedade”, disse Sean Dougherty, escalador de Penticton, autor de guia de escalada e proprietário do website www.skaha.org. “É imensa (a terra) e só uma pequena parte precisa ser usada como estacionamento. Esta terra vai garantir o acesso a muitos usuários, incluindo mountain bikers, conservacionistas e as ovelhas”. Mas Dougherty lembra que, se a compra da terra é uma solução duradoura, a temporada de escalada da primavera de 2008, que começou no final de março, ainda precisa ser resolvida.

“Ainda tem muito a fazer. A estrada não está boa para permitir a passagem de 100 carros durante o feriado de Páscoa e a gente precisa passar por uma propriedade particular para chegar lá. A solução ainda é um trabalho em progresso”, enfatizou Dougherty. Independente dos problemas que ainda estão por vir, todo mundo concorda que é uma excelente notícia. “A compra desta propriedade é uma ótima notícia para a nossa região”, diz Bill Barisoff, membro da Assembléia Legislativa para o vale de Penticton-Okanagan. “Com o acesso público garantido, Skaha Bluffs pode continuar a ser um importante destino para escaladores do mundo inteiro”.

Leia também

Salada Verde
15 de outubro de 2021

GLO ambiental não será renovada, anuncia Mourão

A operação acabou nesta sexta-feira (15). Atuação de militares não resultou em diminuição do desmatamento na Amazônia, mesmo com efetivo e orçamento maiores que dos órgãos ambientais

Notícias
15 de outubro de 2021

Justiça do México suspendeu revisão da meta climática, apresentada em 2020

Assim como o Brasil, o México revidou a meta para abaixo do estabelecido no Acordo de Paris. Greenpeace questionou na Justiça a nova NDC e ganhou

Reportagens
15 de outubro de 2021

Com acordo político, 1ª parte da Conferência da ONU sobre Biodiversidade chega ao fim na China

Mais de 100 países assinaram Declaração de Kunming, se comprometendo politicamente a preservar a biodiversidade do planeta

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta