Fotografia

Uma passagem pela catarinense Laguna

No sul do estado, município esbanja beleza em costões rochosos e porções preservadas de Mata Atlântica. Resolver problemas ambientais é fundamental para o turismo.

Redação ((o))eco ·
8 de janeiro de 2009 · 13 anos atrás

Ninguém duvida das belezas do litoral catarinense. Não fosse a água quase sempre fria e os invernos no melhor estilo sulista, seria uma das regiões mais procuradas por turistas durante o ano todo. Apesar das canetas e gravadores em descanso, as câmeras da reportagem de O Eco ficaram com diafragmas bem abertos e captaram algumas belezas do município de Laguna, 120 quilômetros ao sul da capital Florianópolis.

Redes e outros materiais apreendidos na sede da Polícia Militar Ambiental em Laguna. (Foto: Aldem Bourscheit)
Redes e outros materiais apreendidos na sede da Polícia Militar Ambiental em Laguna. (Foto: Aldem Bourscheit)

Cheia de morros cobertos por remanescentes de uma Mata Atlântica rica em butiazeiros e gravatás, parente espinhoso das bromélias, a região oferece inúmeras possibilidades para turismo e esportes de aventura. Adeptos do rapel e da escalada em rocha (boulder) são vistos se dependurando por lá. Cortar com um caiaque as águas da lagoa Santo Antônio ou do canal que leva ao mar é outra opção. A cidade também oferece um dos mais agitados carnavais da Região Sul.

Uma conversa com a Polícia Militar Ambiental mostra que o município sofre com problemas comuns a outras porções litorâneas do país, como desmatamento e pesca desordenada. Centenas de redes e outros petrechos de pesca são apreendidos e incinerados todos os anos. Clique aqui e confira boletim com autuações de dezembro de 2008.

“Pés-de-galinha” ajudam na ampliação dos molhes. (Foto: Aldem Bourscheit)
“Pés-de-galinha” ajudam na ampliação dos molhes. (Foto: Aldem Bourscheit)

A navegação e a pesca industrial crescem com a reforma e ampliação dos molhes, desde 2001. As obras exigem toneladas de pedras e enormes estruturas de cimento conhecidas entre a população como “pés-de-galinha”.

Com muitas histórias para contar, da colonização açoriana, dos feitos de Anita Garibaldi, do marco do Tratado de Tordesilhas (Pedra do Frade) e da impressionante parceria entre botos e pescadores em busca dos melhores cardumes de tainhas e outros peixes (exibida pelo canal Animal Planet em janeiro de 2007), a cidade precisa dar um jeito no problema do lixo, antes que suas belezas se turvem.

Muitos resíduos chegam à região na carona do Rio Tubarão, que percorre quilômetros no sul do estado. No entanto, há grande quantidade de detritos em terrenos baldios, ou espalhados por ruas e águas. Feios borrões na paisagem.

Leia também

Salada Verde
25 de maio de 2022

CPI/PUC lança plataforma sobre os 10 anos do Código Florestal

Ferramenta concentra análises, pesquisas e dados sobre a implementação da Lei 12.651/2012 em todos os estados brasileiros

Notícias
25 de maio de 2022

Desmatamento na Mata Atlântica cresce 66% e chega a 21,6 mil hectares em 2021

Estados que estavam perto de atingir o desmatamento zero, como São Paulo e Sergipe, voltam a apresentar alta na destruição do bioma, revela Atlas

Notícias
25 de maio de 2022

Onças encontradas mortas no Pantanal foram envenenadas por agrotóxico, conclui PF

O inseticida Carbofurano, agrotóxico cuja venda é proibida no país, foi usado para envenenar as onças-pintadas. Carcaças foram encontradas em junho de 2021, já em estado de decomposição

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta