Fotografia

Uma passagem pela catarinense Laguna

No sul do estado, município esbanja beleza em costões rochosos e porções preservadas de Mata Atlântica. Resolver problemas ambientais é fundamental para o turismo.

Redação ((o))eco ·
8 de janeiro de 2009 · 13 anos atrás

Ninguém duvida das belezas do litoral catarinense. Não fosse a água quase sempre fria e os invernos no melhor estilo sulista, seria uma das regiões mais procuradas por turistas durante o ano todo. Apesar das canetas e gravadores em descanso, as câmeras da reportagem de O Eco ficaram com diafragmas bem abertos e captaram algumas belezas do município de Laguna, 120 quilômetros ao sul da capital Florianópolis.

Redes e outros materiais apreendidos na sede da Polícia Militar Ambiental em Laguna. (Foto: Aldem Bourscheit)
Redes e outros materiais apreendidos na sede da Polícia Militar Ambiental em Laguna. (Foto: Aldem Bourscheit)

Cheia de morros cobertos por remanescentes de uma Mata Atlântica rica em butiazeiros e gravatás, parente espinhoso das bromélias, a região oferece inúmeras possibilidades para turismo e esportes de aventura. Adeptos do rapel e da escalada em rocha (boulder) são vistos se dependurando por lá. Cortar com um caiaque as águas da lagoa Santo Antônio ou do canal que leva ao mar é outra opção. A cidade também oferece um dos mais agitados carnavais da Região Sul.

Uma conversa com a Polícia Militar Ambiental mostra que o município sofre com problemas comuns a outras porções litorâneas do país, como desmatamento e pesca desordenada. Centenas de redes e outros petrechos de pesca são apreendidos e incinerados todos os anos. Clique aqui e confira boletim com autuações de dezembro de 2008.

“Pés-de-galinha” ajudam na ampliação dos molhes. (Foto: Aldem Bourscheit)
“Pés-de-galinha” ajudam na ampliação dos molhes. (Foto: Aldem Bourscheit)

A navegação e a pesca industrial crescem com a reforma e ampliação dos molhes, desde 2001. As obras exigem toneladas de pedras e enormes estruturas de cimento conhecidas entre a população como “pés-de-galinha”.

Com muitas histórias para contar, da colonização açoriana, dos feitos de Anita Garibaldi, do marco do Tratado de Tordesilhas (Pedra do Frade) e da impressionante parceria entre botos e pescadores em busca dos melhores cardumes de tainhas e outros peixes (exibida pelo canal Animal Planet em janeiro de 2007), a cidade precisa dar um jeito no problema do lixo, antes que suas belezas se turvem.

Muitos resíduos chegam à região na carona do Rio Tubarão, que percorre quilômetros no sul do estado. No entanto, há grande quantidade de detritos em terrenos baldios, ou espalhados por ruas e águas. Feios borrões na paisagem.

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta