Notícias

É temporada de baleias no litoral catarinense

15 baleias franca já foram avistadas nos últimos dias. Essa é a época em que elas vêm com seus filhotes para o litoral catarinense fugindo do inverno.

Daniele Bragança ·
12 de julho de 2011 · 10 anos atrás
Imagens registradas no dia 7 de julho. crédito: PBF/Priscila Couto
Imagens registradas no dia 7 de julho. crédito: PBF/Priscila Couto
Começou a temporada oficial das baleias no litoral de Santa Catarina. De sábado, dia 2, a sábado, dia 7, foram avistados 15 baleias franca no litoral. Essa é a época em que as baleias francas vêm com seus filhotes para o litoral catarinense fugindo do inverno na Antártica. A Baleia Franca é a segunda espécie de baleia mais ameaçada de extinção no planeta

É também a época em que os pesquisadores e voluntários do Projeto Baleia Franca (PBF/Brasil) – que há 30 anos se dedica à pesquisa e à conservação desses animais em terras brasileiras – tem mais trabalho. No sábado, dia 2, foram três baleias avistas na Praia de Itapirubá, sede do Projeto. Os animais foram vistos inicialmente na Praia de Itapirubá Sul, e estavam em deslocamento no sentido Norte. Na terça e quarta-feira, dia 5 e 6, a equipe percorreu desde o Cabo de Santa Marta (Laguna) até a Guarda do Embaú (Palhoça), onde foram registradas 12 baleias francas, sendo 10 indivíduos adultos e 1 par de mãe e filhote. O grupo foram registradas nas praias do Cardoso (Cabo Sta. Marta), Ferrugem e Ouvidor (Garopaba) e Guarda do Embaú (Palhoça).

crédito: PBF/Priscila Couto
crédito: PBF/Priscila Couto

Para ajudar no trabalho, esse ano 15 voluntários foram selecionados para integrar a equipe e estão em treinamento desde o dia 22 de junho. Os voluntários são estudantes e recém-formados dos cursos de Biologia e Medicina Veterinária vindos de várias partes do Brasil para aprimorar seus conhecimentos e vivenciar a experiência de pesquisa em campo sobre as baleias franca, cientificamente chamada de Eubalaena australis.
 
A baleia franca austral é uma espécie bastante dócil, nadando geralmente muito próxima à praia, logo após a arrebentação das ondas. Exposição de cauda e nadadeiras peitorais, além de borrifos em forma de “V”, são comportamentos bastante comuns facilmente observados a partir da costa, e que costumam atrair turistas para a observação das francas, que se caracterizam por possuir o corpo predominantemente preto, apresentar nadadeiras peitorais em formato trapezoidal, cauda larga e pontuda. Podem pesar mais de 70 toneladas e atingir 18 metros de comprimento. Os filhotes nascem com cerca de 4,5 a 6 metros de comprimento, pensando 5 a 6 toneladas. A gestação dura um ano, o mesmo tempo em que o filhote fica com a mãe ao nascer.

Saiba mais

Mapa da avistagem

{iarelatednews articleid=”1205,24600,24363″}

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta