Notícias

Os mapas do saneamento no Brasil

Novo Atlas do Saneamento lançado pelo IBGE mostra melhora relativa no número de cidades com coleta seletiva. Aterros com resíduos perigosos ameaçam principais aquíferos.

Gustavo Faleiros ·
19 de outubro de 2011 · 11 anos atrás

Entre os anos de 2000 e 2008, o número de municípios com coleta seletiva aumentou em todo país. Essa foi uma das principais conclusões do Atlas de Saneamento 2011, lançado nesta terça-feira pelo IBGE. Segundo o instituto, em 2000, 8,2% municípios informavam possuir coleta seletiva, enquanto 8 anos depois o porcentual aumentou para 17,9%.

Os dados, entretanto, não revelam somente um quadro positivo. O IBGE considera o percentual ainda baixo e entre aqueles que fazem a separação dos resíduos, somente 38% atendem todo o território municipal .

O gráfico abaixo, disponibilizado pelo IBGE, mostra a evolução entre 2000 e 2008. Os mapas indicam a concentração dos serviços nas regiões Sudeste e Sul, onde o porcentual de municípios com coleta seletiva é de 40%. Nas outras regiões, a proporção fica abaixo dos 10%

Outro dado importante destacado pelo instituto foi um mapa mostrando as ameaças de aterros de resíduos perigosos e de locais sem tratamento de esgoto aos principais aquíferos do país. Na imagem abaixo, os pontos em vermelho mostram que sobre quase todas as grandes reservas de recursos hídricos subterrâneos existe a disposição de lixo industrial perigoso.

Com respeito aos dados gerais sobre a cobertura de saneamento, o Atlas 2011, que foi baseado nos dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico de 2008, revela uma melhora no total de cidades com acesso a todos os serviços. O avanço ocorreu nos centros urbanos onde houve também o maior crescimento demográfico. Na Região Norte ou Centro Oeste por exemplo, o total de municípios com rede coletora de esgotos praticamente dobrou, passando de 32 a 60 e 80 a 132, respectivamente. Olhando no mapa abaixo, pode se notar que o aumento nestas regiões se deu em paralelo às altas taxas de crescimento demográfico de Manaus e o Distrito Federal.

{iarelatednews articleid=”953,24110,23995,23897,23562,8504,6039″}

  • Gustavo Faleiros

    Editor da Rainforest Investigations Network (RIN). Co-fundador do InfoAmazonia e entusiasta do geojornalismo. Baterista dos Eventos Extremos

Leia também

Reportagens
11 de agosto de 2022

Aneel revoga outorga de autorização de usinas termelétricas na Baía de Sepetiba

Sociedade civil questiona desde altos riscos em região sensível a impactos socioambientais aos erros cometidos nos trâmites legais para a implementação das térmicas

Notícias
10 de agosto de 2022

Amazonas tem seis das dez áreas protegidas mais ameaçadas do bioma

Estudo realizado pelo Imazon revela ameaças e pressões de desmatamento em unidades de conservação e terras indígenas na Amazônia entre abril e junho

Notícias
10 de agosto de 2022

ALMT adia votação do projeto que libera caça esportiva no Mato Grosso

Autor da proposta, o deputado Gilberto Cattani (PL) quer aumentar a “interação homem e natureza”. As espécies que poderão ser caçadas serão decididas pelo Executivo

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta