Reportagens

Risco ao abastecimento em 55% dos municípios

Segundo Atlas da Agência Nacional de Águas será preciso R$ 22 bilhões de investimentos em sistemas de captação e distribuição de água até 2015.

Angela Morelli ·
22 de março de 2011 · 13 anos atrás

Quando se olha para os números globais de distribuição de água, o Brasil aparece como país privilegiado: detém 12% da reserva de água doce do planeta. A aparente abundância esconde problemas sérios de abastecimento hídricos, atuais e futuros, como mostra o Atlas Brasil, estudo da Agência Nacional das Águas (ANA), divulgado hoje, no Dia Mundial da Água.

De acordo com o documento, 55% dos municípios, ou 3.059 do total, precisam de R$ 22 bilhões de investimentos em sistemas de captação e distribuição de água até 2015. Esses municípios correspondem a pelo menos 73% da demanda do país inteiro. Em 2025, serão 139 milhões de habitantes nesses municípios, ou seja, 72% da população brasileira.

Mais de 59% das sedes urbanas do Norte e Nordeste necessitam de investimentos em sistemas de produtores de água. Juntos, Nordeste e Sudeste demandam 74% do total dos investimentos necessários, que equivalem a R$ 16,5 bilhões que seriam destinados a 2.076 municípios.

Essas duas regiões requerem grande volume de investimentos devido ao maior número de aglomerados urbanos e por causa do semiárido, área com maior escassez de água do Brasil. Dos 1.133 municípios que compõem a região, 826 sedes requerem investimentos para ampliar a oferta de água, predominantemente na conexão a sistemas integrados projetados ou com obras em andamento (R$ 3,6 bilhões  para 218 cidades).

Veja os números:

Panorama Regional

Leia também

Salada Verde
14 de junho de 2024

Palmeiras chama atenção para o desmatamento ilegal em partida do Brasileirão

Em ação com sua fornecedora de material esportivo, o clube jogou sua última partida com dois modelos de camisa: no primeiro tempo, mais verde; no segundo, espaços em branco

Salada Verde
14 de junho de 2024

Filhote de onça-pintada é registrado no Parque Nacional do Iguaçu

Novo filhote, batizado de Yasú, que significa "amor", em Tupi, tem pouco mais de um ano de vida

Análises
14 de junho de 2024

Riscos vão muito além da privatização das praias

A zona costeira está sendo estreitada, aprisionada entre o processo de elevação do nível do mar e de ocupação que impede que a linha de costa se mova para se ajustar à nova realidade imposta pelas mudanças climáticas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 2

  1. Lana diz:

    Gostaria de saber a principal causa destes municípios estarem em risco.
    PS: Adorei a reportagem!


  2. vera diz:

    gostei e achei muito interessante.