Reportagens

Risco ao abastecimento em 55% dos municípios

Segundo Atlas da Agência Nacional de Águas será preciso R$ 22 bilhões de investimentos em sistemas de captação e distribuição de água até 2015.

Angela Morelli ·
22 de março de 2011 · 12 anos atrás

Quando se olha para os números globais de distribuição de água, o Brasil aparece como país privilegiado: detém 12% da reserva de água doce do planeta. A aparente abundância esconde problemas sérios de abastecimento hídricos, atuais e futuros, como mostra o Atlas Brasil, estudo da Agência Nacional das Águas (ANA), divulgado hoje, no Dia Mundial da Água.

De acordo com o documento, 55% dos municípios, ou 3.059 do total, precisam de R$ 22 bilhões de investimentos em sistemas de captação e distribuição de água até 2015. Esses municípios correspondem a pelo menos 73% da demanda do país inteiro. Em 2025, serão 139 milhões de habitantes nesses municípios, ou seja, 72% da população brasileira.

Mais de 59% das sedes urbanas do Norte e Nordeste necessitam de investimentos em sistemas de produtores de água. Juntos, Nordeste e Sudeste demandam 74% do total dos investimentos necessários, que equivalem a R$ 16,5 bilhões que seriam destinados a 2.076 municípios.

Essas duas regiões requerem grande volume de investimentos devido ao maior número de aglomerados urbanos e por causa do semiárido, área com maior escassez de água do Brasil. Dos 1.133 municípios que compõem a região, 826 sedes requerem investimentos para ampliar a oferta de água, predominantemente na conexão a sistemas integrados projetados ou com obras em andamento (R$ 3,6 bilhões  para 218 cidades).

Veja os números:

Panorama Regional

Leia também

Reportagens
27 de janeiro de 2023

Apib representa criminalmente ex-presidente Jair Bolsonaro por omissão na proteção do território Yanomami

Além do ex-mandatário, o ex-presidente da Funai, Marcelo Xavier e a ex-ministra e atual senadora Damares Alves são citados. A ação destaca possível incentivo para invasões da área protegida

Notícias
27 de janeiro de 2023

Mauro Mendes quer “desfederalização” do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães

É a primeira vez que um parque federal seria transformado em estadual no País, aponta Rede Pró-Unidades de Conservação. Alteração pode diminuir poder de acionar mecanismos de proteção

Notícias
27 de janeiro de 2023

Justiça federal e estadual avaliam três ações civis públicas contra Complexo Termelétrico em Macaé

Desabastecimento hídrico e poluição atmosférica estão entre as irregularidades apontadas pelo Instituto Arayara, que reivindica estudos fundamentais negligenciados no licenciamento

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta