Notícias

La Niña provoca chuvas nas Amazônia boliviana

Fenômeno tem provocado grandes cheias e já atingiu mais de mil famílias. Situação pode ser reflexo das mudanças climáticas.

Giovanny Vera ·
2 de março de 2012 · 10 anos atrás
Ruas alagadas de Cobija, Bolívia. (Crédito: ABI)
Ruas alagadas de Cobija, Bolívia. (Crédito: ABI)

O fenômeno meteorológico La Niña tem assolado a região amazônica da Bolívia. Chuvas intensas inundaram rios e afetaram diversas comunidades. Segundo o vice-ministro de Defesa Civil da Bolívia, Oscar Cabrera, “há quarenta anos não se registravam chuvas de tanto impacto na região com as consequências que estamos vendo hoje”.

Milhares de pessoas foram atingidas pela cheia dos rios Tahuamanu e Acre, nos Estados Pando e Beni. Segundo a Agência Boliviana de Informação (ABI) o rio Acre, que separa as cidades de Cobija na Bolívia e Brasileia no Brasil, subiu pelo menos 14 metros. Recentemente, o presidente Evo Morales decretou estado de emergência no país.

Veja mapa de lugares mais afetados pelas cheias na Bolívia:

Veja Inundaciones 2012 em um mapa ampliado

De acordo com informações da WWF, a Amazônia está cada dia mais vulnerável a novas inundações, agravadas por fatores externos como desmatamento, queimadas e construção de represas e estradas.“As inundações se devem às mudanças climáticas”, afirmou Jerjes Mercado, diretor da Agência para o Desenvolvimento das Macrorregiões e Zonas Fronteiriças da Bolívia.

Carlos Souza, pesquisador do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), em declarações para ((o)) eco Amazônia, afirmou que a resiliência da floresta “pode ser ameaçada pela superposição de fenômenos climáticos naturais (como secas prolongadas) e consequências das mudanças climáticas (secas frequentes e efeitos do El Niño mais intensos)”.

  • Giovanny Vera

    Giovanny Vera é apaixonado pela área socioambiental. Especializado em geojornalismo e jornalismo de dados, relata sobre a Pan-Amazônia.

Leia também

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Reportagens
3 de dezembro de 2021

Novo Código de Mineração propõe aprovação automática de milhares de processos parados na ANM

Proposta pode afetar mais de 90 mil requerimentos que aguardam aprovações técnicas e ambientais; medida ainda interfere na criação de unidades de conservação e dificulta demarcação de terras indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta