Notícias

Ameaçados: mobilização em favor do povo Suruí

Através de petição online, campanha internacional divulga situação vivida pelo povo Paiter-Suruí, ameaçados de morte por madeireiros.

Redação ((o))eco ·
7 de agosto de 2012 · 9 anos atrás
Suruís são reconhecidos internacionalmente por criar mecanismos financeiros de REDD e vender créditos de carbono. (Foto: Divulgação Metareilá/Povo Paiter-Surui)
Suruís são reconhecidos internacionalmente por criar mecanismos financeiros de REDD e vender créditos de carbono. (Foto: Divulgação Metareilá/Povo Paiter-Surui)

 
Carta aberta, matérias na imprensa, mobilização nas redes sociais. Tudo já foi feito, sem sucesso, para tentar pressionar o governo federal a proteger o povo Paiter-Suruí e seu líder, o cacique Almir Suruí, ameaçado de morte por denunciar desmatamento ilegal dentro das terras indígenas. Por isso, a Ong internacional Avaaz lançou uma petição online para “potencializar a mobilização pública contra a situação caótica que ocorre agora na Terra Indígena Sete de Setembro”.
 
Os Suruís se notabilizaram por projetos para manter a floresta em pé, como a venda de carbono, com a qual pretendem gerar renda para preservar seu modo de vida.  A prevenção e controle do desmatamento na terra Sete de Setembro incomodam os madereiros locais. As ameaças de morte atribuídas a eles acontecem desde 2003, mas se intensificaram nos últimos meses.
 

Após o recolhimento das assinaturas, a petição será entregue ao Ministro da Justiça,  José Eduardo Cardozo; à presidente da Funai, Marta do Amaral Azevedo e a Diretoria Geral da Polícia Federal.

Leia também

Notícias
2 de dezembro de 2021

Lideranças indígenas do Pará cedem à pressão de invasores e aceitam reduzir seu território pela metade

Caciques da TI Apyterewa disseram ao STF que, em “acordo” feito com invasores, aceitam redução de 392 mil hectares de suas terras

Notícias
2 de dezembro de 2021

Com maioria no Conama, governo federal impõe mudanças no CNEA

Conama aprova alterações no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas e impõe mais burocracia e custos para a participação da sociedade civil no conselho

Reportagens
2 de dezembro de 2021

Secas recorrentes afetam a capacidade de recuperação da Floresta Amazônica, alerta estudo

Nas últimas duas décadas, a Floresta Amazônica tem sido impactada por secas cada vez mais intensas e frequentes. As mais severas ocorreram em 2005, 2010 e 2015

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta