Notícias

Livro conta a trajetória de sucesso do projeto Arara Azul

Um dos maiores casos de sucesso de recuperação de população de espécie ameaçada de extinção agora pode ser lido e visto em belas fotos.

Redação ((o))eco ·
24 de agosto de 2012 · 9 anos atrás

Campo Grande (MS) – Um dos maiores casos de sucesso de recuperação de população de espécie ameaçada de extinção virou livro. Quem assina a publicação “Joias azuis no céu do Pantanal” é a bióloga doutora Neiva Guedes, idealizadora do projeto Arara Azul. A obra também traz fotografias de Luciano Candisani.

O lançamento será no dia 29 de agosto, às 19h30, no auditório do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul, à avenida Calógeras, 3.000, na capital sul-mato-grossense.

O Projeto Arara Azul teve início em 1990 com o objetivo de estudar a biologia e as relações ecológicas da arara-azul-grande (Anodorhynchus hyacinthinus), através do manejo e promovendo a conservação da espécie em seu ambiente natural. Ele compreende o acompanhamento das araras e o monitoramento de ninhos naturais e artificiais, em uma área de mais de 400 mil hectares espalhada que inclui várias fazendas no Pantanal. Parte do trabalho é aproximar os proprietários locais do esforço.

Quando começou, apenas 3 mil animais viviam entre o Pantanal, floresta Amazônica e uma pequena região na confluência entre os Estados do Maranhão, Piauí, Goiás, Tocantins e Bahia. As populações do Paraguai e da Bolívia já haviam praticamente desaparecido pela ação dos traficantes.

Em 1990, a população no Pantanal era estimada em 1.500 indivíduos. Hoje, são mais de 5.000, aumento superior a 3 vezes. A presença da arara-azul-grande também está se expandindo para locais onde não era encontrada.

Além da que o nomeia, o projeto contempla outras espécies: araras vermelhas, tucanos, gaviões, corujas, pato-do-mato e outras espécies que coabitam o Pantanal.

A realização do Arara Azul é feita pelo Instituto Arara Azul e parceiros. Entre eles, a Fundação Toyota do Brasil, Universidade Anhanguera Uniderp, Refúgio Ecológico Caiman e Bradesco Capitalização. A partir da próxima quarta-feira (29), o livro estará disponível à venda em todo o Brasil. Mais informações no próprio site do instituto.

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta